quinta-feira, junho 22, 2017

Monthly Archives: novembro 2016

Para quem mora em São Paulo, nesta quarta (30), as 20h30, será exibido o filme “Jogo Truncado” durante o Festival de Cinema de Futebol (Cinefoot).

No vocabulário do futebol, “jogo truncado” é usado quando uma partida está brigada. A palavra “truncado” também significa incompleto ou cortado. Nesse sentido, “Jogo truncado” discute a luta pela diversidade e respeito dentro do futebol brasileiro, a partir dos movimentos de torcedores contra a homofobia e o sexismo nos estádios.

Serviço:

JOGO TRUNCADO
CINEFOOT – São Paulo
Dia 30/11, as 20h30 – quarta-feira no Museu do Futebol
Praça Charles Miller, s/n – Estádio do Pacaembu
Confira a programação completa: www.cinefoot.org

A SEDPAC (Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania), por meio do EFDH (Programa Escola de Formação em Direitos Humanos) promoverá, a partir de dezembro, os cursos “Direitos Humanos e Cidadania: Proteção, Promoção e Reparação dos Direitos das Pessoas LGBT e de Identidade de Gênero” e o curso “Direitos Humanos e Cidadania: Proteção, Promoção e Reparação dos Direitos das Mulheres”.

Oferecidos na plataforma EAD (Ensino à Distância), por meio da plataforma Moodle, e com carga horária de 60horas/aulas, os cursos são destinados aos agentes públicos estaduais e municipais, estudantes universitários e membros da sociedade civil.

Com término previsto para 5 de fevereiro de 2017, os cursos terão disciplinas com temas relacionados aos Direitos Humanos e Dignidade da Pessoa Humana, Classificações dos Direitos Humanos, Cidadania e Direitos Humanos, Legislação, Identificação e enfrentamento das violações de Direitos Humanos, Redes de Atendimento e Proteção, Planejamento, monitoramento e avaliação em Ações de Direitos Humanos.

Outros temas serão oferecidos em módulos específicos para cada curso, como Proteção, Promoção e Reparação dos Direitos das Mulheres e dos Direitos das Pessoas LGBT e de Identidade de Gênero.

Todxs xs interessadxs devem fazer sua inscrição pelo site www.direitoshumanos.mg.gov.br, menu Cursos e Capacitações, digitando o código SEDPAC280 para o curso sobre direitos LGBT e SEDPAC281 para direitos das mulheres.

Segundo dados das Estatísticas do Registro Civil 2015, divulgadas na quinta-feira (24) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o crescimento de casamentos homoafetivos no ano de 2015 foi 5 vezes maior que o crescimento dos casamentos realizados entre homens e mulheres.

O crescimento das uniões entre pessoas do mesmo sexo foi de 15,7% e o de pessoas de sexo diferentes foi de 2,7% com relação ao ano anterior.

Em 2013, o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) aprovou a Resolução 175 que determina que todos os cartórios celebrem o casamento civil ou conversão da união estável em casamento homoafetivo.

Segundo o IBGE, o incentivo à oficialização das uniões por meio de casamentos coletivos decorrentes de parcerias entre prefeituras, cartórios e igrejas, contribuiu, em grande medida, para o crescimento do número de casamentos oficiais em alguns estados brasileiros. Entre os que tiveram esse aumento, o Acre (40,0%) foi o mais expressivo. Apenas sete estados apresentaram diminuição nos números de registros, sendo as principais reduções na Paraíba (-7,7%) e no Sergipe (-6,3%).

O casamento civil entre pessoas do mesmo sexo mostrou que a maior proporção também se dá entre solteiros, com 86,7% entre os homens e 77,7% entre mulheres. Os diferenciais entre os sexos masculinos e femininos se deu, em maior medida, nas proporções de casamentos entre solteiros e divorciados, que foi mais expressivo entre casamentos femininos, com 19,4% dos registros, em relação aos homens, cujo percentual foi de 10,9%;

Em 20 de Junho de 2015, a travesti Laura Vermont foi espancada por cinco homens na zona leste de São Paulo. Dois policiais militares foram presos por atirarem contra ela e mentirem à Polícia Civil sobre o caso.
Imagens das câmaras de segurança de lojas na avenida Nordestina, Vila Nova Curuça, zona leste de São Paulo, gravaram o momento em que a travesti Laura Vermont, de 18anos, foi atacada por cinco homens.

De acordo com os delegados Michel Augusto Toricelli e José Manoel Lopes, do 32º DP (Itaquera), os responsáveis pela morte de Laura são Van Basten Bizarrias de Deus, Jefferson Rodrigues Paulo, ambos de 24 anos, Iago Bizarrias de Deus, Wilson de Jesus Marcolino, os dois com 20 anos, e Bruno Rodrigues de Oliveira.

PMs presos por mentir

Os PMs Ailton de Jesus, 43 anos, e Diego Clemente Mendes, 22, do 39º Batalhão, foram presos em flagrante, na tarde de 20 de junho, após mentir para a Polícia Civil sobre um tiro disparado contra Laura.

A versão contada por eles é que Laura teria pego o carro da polícia sem permissão, batido em um poste e tentado fugir. A mãe da vítima estranhou o fato, já que ela não sabia dirigir. Tendo uma testemunha de 19 anos apresentada pelos policiais, os investigadores ficaram desconfiados pela riqueza dos detalhes.

Ao fazerem a reconstituição do crime, notaram diversas manchas de sangue em locais que nem a testemunha e nem os policiais relataram. Pressionados, a verdade apareceu.

O PM Ailton assumiu ter atirado em Laura “porque ela havia apresentado resistência”. Já o PM Mendes disse a Polícia Civil que “foi instruído por [o PM] Ailton a não relatar a verdade dos fatos”. Por conta disso, os dois foram presos em flagrante por falto testemunho e fraude processual.

O julgamento dos assassinos de Laura Vermont será realizado nesta segunda, dia 28/11, no Fórum Criminal da Barra Funda em São Paulo (Av. Dr. Abrahão Ribeiro, 313) e será acompanhado por militantes, coletivos e pela diretora e segunda secretária da APOGLBT SP Adriana da Silva.

Que a justiça seja feita!

No dia 14 de novembro de 2010 um rapaz tomou uma “lampadada” na cabeça em plena Avenida Paulista por ser percebido como gay.  O ato homofóbico foi noticiado na mídia do Brasil e do mundo. Pela revolta, pela luta, pela indignação e sentimentos de impotência diante das violências deste tipo, o coletivo A Revolta da Lâmpada, neste sábado, realizará mais um ato multicultural em memória aos ataques LGBTs.

“A lâmpada foi institucionalizada. Corpos negros, de mulheres, retirantes, indígenas, gordos, de pessoas em situação de rua – entre outros tantos – são lampadados a todo o tempo. Nossa sociedade assiste calada, normalizando essa violência. Nossos novos governantes fazem com que os opressores se sintam validados para oprimir mais.”, texto presente na página do coletivo.

Previsto para começar as 14h, segue a programação gratuita:

////// CONCENTRAÇÃO
14h: AQUECIMENTO, início da oficina de cartazes e pintura corporal, microfone aberto
14h40 – 14h45: fala convidada
14h45: DJ LEDAH MARTINS (POP PORN)
15h25 – 15h30: fala convidada
15h30: ALINE VARGAS (RJ – samba feminista)
16h: INÍCIO DA MARCHA + sambada na cara das inimigas (ao som de Aline Vargas)
.
/////// MARCHA
(Av. Paulista — Rua da Consolação — Praça Dom José Gaspar)
16h: CIBELLE
16h25 – 16h30: fala convidada
16h30: DJ AD FERRERA (MEL) + catwalk da militância
17h10 – 17h15: fala convidada
17h15: RICO DALASAM
17h40 – 17h45: fala convidada
17h45: DJ LYDIA TUCCI (RJ – funk carioca)
+++ participação da drag ASHELLEY BEAUTY (FAMÍLIA STRONGER)
18h25 – 18h30: fala convidada
18h30: show 4 – JEZA DA PEDRA (RJ)
18h55 – 19h: fala convidada
19h: DJ LEANDRO CUNHA + chegada do carro
.
/////// FESTA DE ENCERRAMENTO
(Praça Dom José Gaspar)
19h40 – 19h45: performance ALMA NEGROT
19h45: show 5 – NO PORN
20h15: DJs TIAGO E GUI (TENDA)
20h55 – 21h: performance IVANA WONDER
21h: DJ NETO NIGGAZ
21h40: show de encerramento: MC LINN DA QUEBRADA + JUP
.
////// PERFORMANCES DURANTE O ATO (horário livre)
EX-MISS-FEBEM
RODRIGO ABREU
DIG FERREIRA
FELIPE CAPRESTANO
.
///// DANÇAS
IRMÃO LYONS – FAMÍLIA STRONGER (bonde de funk)

Participe do evento no Facebook:
https://www.facebook.com/events/224046891342184/

Para doações:
http://bit.ly/keroacue

Créditos:
– conceito e montagem : Joao Pacca
– trilha : Leandro Cunha e Bruno Palazzo

Apoios:
– APOLGBT, Cume,  VIC, Vozeria, Mães pela Diversidade e Família Stronger

Serviço:

III REVOLTA DA LÂMPADA
26/11 – Av. paulista, 777 – São Paulo/SP
Concentração a partir das 14h
Página:  https://www.facebook.com/arevoltadalampada/
Evento: https://www.facebook.com/events/224046891342184/

O MPMG (Ministério Público de Minas Gerais) recebeu denúncia contra a divulgação de uma palestra proferida por Isildinha Muradas que prometia prevenir e reverter a homossexualidade. Postado no Facebook, o evento promovido pela Igreja Batista Getsêmani, com o tema “Como prevenir e reverter a homossexualidade”, em Belo Horizonte, causou grande revolta.

Em entrevista ao portal G1, Isildinha Muradas, que também é pastora, disse que tudo não passou de um grande erro. Que a arte foi feita por outro pastor. Que ela não é psicopedagoga e que trabalha como dentista. Porém, na denúncia, ela será investigada também pelo suposto exercício ilegal da profissão, já que, em uma entrevista em vídeo anterior que pode ser assistida aqui ao ser perguntada, ela diz que é pedagoga sim (caso removam, já salvamos uma cópia para ajudar no processo).

curagay
Cartaz divulgado. Depois da revolta nas redes sociais, ele foi removido.

O caso também chegou ao conhecimento da Comissão de Diversidade Sexual da Ordem dos Advogados do Brasil de Minas Gerais. Segundo Juliana Lobato, presidente da comissão, a divulgação da palestra caracteriza claramente uma postura discriminatória da igreja e poderá caber ações civis e criminais.

A Associação Brasileira de Psicopedagogia afirmou que repudia a temática da palestra proposta, que não se embasa na psicopedagogia qualificada academicamente e comprometida com o exercício profissional responsável. Já o Conselho Regional de Psicologia de Minas (CRP-MG), deixou claro que repudiam o tema da palestra e qualquer tipo de discriminação à orientação sexual e identidade de gênero. As duas entidades também afirmaram que não reconhecem Isildinha Muradas como membro.

A ONG APOGLBT SP, responsável pela maior Parada do Orgulho LGBT do mundo, junto com outras ONGs de direitos humanos LGBTs, coletivos e militantes independentes decidiu o tema, slogan e a justificativa da Parada de 2017. Para isso, abre seleção de arte da Parada 2017 para estudantes e profissionais de designer, desenhistas e ilustradores confeccionarem o cartaz oficial do evento.

Para conhecer os cartazes produzidos até hoje, e seus respectivos temas e slogan, visite:
http://paradasp.org.br/cartazes-oficiais-da-apoglbt-sp-desde-o-inicio-de-suas-atividades

Regulamento:

1. Sobre a participação:
1.1. Qualquer pessoa residente no território brasileiro poderá participar da Seleção de Arte Parada 2017.

2. Sobre o conteúdo:
2.1. No cartaz deverá conter o tema “Estado Laico”, o slogan “Independente de nossas crenças, nenhuma religião é lei! Todas e todos por um Estado Laico.”, a informação “21ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo”, além de um espaço reservado para a data do evento “18 de Junho” e logotipo da ONG e parceiros;
2.2. A arte é livre, porém, caso seja utilizado imagens, o autor deve ser detentor dos direitos autorais das mesmas.
2.3. Para ajudar na inspiração, o autor poderá ler a justificativa do tema no link: http://paradasp.org.br/parada-lgbt-de-sp-em-2017-tema-slogan-e-justificativa-foram-definidos

3. Sobre os direitos autorais:

3.1. Após envio da arte, o(a) autor(a) cederá os direitos de uso à Associação da Parada LGBT de São Paulo (APOGLBT SP) caso a mesma seja escolhida.

4. Sobre o envio, formato e prazo:
4.1. A arte deverá ser enviada no tamanho 30x40cm, com 300Dpi e em 2 formatos: aberto e fechado;
4.2. A arte deve ser enviada até dia 16/12/2016 para o e-mail paradasp@paradasp.org.br;
4.3. É permitido o envio de mais de uma arte por pessoa.

5. Sobre a seleção da arte e comunicação do resultado:
5.1. A seleção e escolha dos trabalhos enviados será feita em reunião pública, com a diretoria da APOGLBT SP, mais ONGs de direitos humanos LGBTs, coletivos e militantes independentes no dia 17/12/2016 em local e horário divulgados no site www.paradasp.org.br

6. Sobre o resultado e sua divulgação:
6.1. O(a) autor(a) do cartaz escolhido ganhará uma pulseira VIP com direito a um acompanhante para fazer parte de um dos trios da APOGLBT SP durante a 21º Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. O resultado será divulgado dia 19/12 no portal www.paradasp.org.br;
6.2. A APOGLBT SP se reserva o direito de não aprovar nenhuma arte nesta seleção se, durante a reunião realizada em 17/12, não for decidido em consenso a arte vencedora.

Quem acompanha nosso portal (www.paradasp.org.br) e nossas redes sociais, sabe que a ONG APOGLBT SP, responsável pela Parada do Orgulho LGBT de São Paulo há 20 anos, trabalha o ano todo para que o evento, que une alegria e militância, se realize (além de outros projetos da ONG).

Após diversas reuniões da diretoria da APOGLBT SP em conjunto com outras ONGs de direitos humanos LGBTs, coletivos e militantes independentes, sempre comunicados ao público interessado por meio de nosso portal, finalmente entramos em um consenso e definimos o tema, o slogan e a justificativa da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, que será realizada dia 18 de Junho de 2017.

São eles:

Tema: Estado Laico
Slogan: Independente de nossas crenças, nenhuma religião é lei! Todas e todos por um Estado Laico.
Justificativa:

“A laicidade do Estado democrático garante respeito à diversidade religiosa, humana e cultural. O Estado deve assegurar todos os direitos humanos, tais como a liberdade religiosa, o Direito de cada cidadão a exercer ou não a religiosidade que quiser, mas deve ser garantida a não discriminação. Além disso, é necessária a autonomia do Estado frente às Igrejas, garantindo sua imparcialidade.

Essa conquista cidadã – inclusive para todas e todos fiéis religiosos – está garantida pelos princípios constitucionais da democracia, liberdade, igualdade e separação entre Estado e Igreja nos artigos 1°, 5°, 19°, inciso I o qual transcrevemos:

Art. 19. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:

I – estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público.

Entretanto vê-se, por meio de políticas de privilégios tributários e de concessão de canais de TVs e rádios, por exemplo, o favorecimento de algumas instituições religiosas em detrimento de outras. Além disso, vivencia-se o crescimento constante da representatividade do fundamentalismo religioso em todas as esferas governamentais.

É uma grave ameaça à cidadania, e à democracia constitucional brasileira, o fato de integrantes dos Três Poderes, em qualquer nível, atuar tendo como guia seus valores religiosos, sem observância à cidadania, à pluralidade e aos direitos humanos. Cargos públicos não podem ser utilizados para imposição de visões religiosas quaisquer sejam elas.

Dentre as diversas vítimas do desrespeito ao Estado Laico, estamos nós LGBT. Os exemplos são inúmeros – e desumanos. É proposta legislativa federal o Estatuto da Família, que, com base unicamente em argumentos religiosos, não reconhece como legítimos e legais diversos arranjos familiares, inclusive com responsáveis legais LGBT.

Vimos nos anos de 2015 e 2016 retrocessos na promoção da igualdade de gênero nos planos de educação articuladas por bancadas legislativas católicas e evangélicas, e referendadas por chefes do Poder Executivo. E ainda há trabalho para que o Ensino Religioso no sistema público de educação seja confessional ao invés de propor visão secular da história das religiões. Seria o Estado a serviço do fundamentalismo religioso.

No Congresso Nacional, o debate sobre a criminalização da discriminação por orientação sexual e identidade de gênero é repleto de ataques de parlamentares da bancada religiosa conservadora, muitos dos quais envolvidos em crimes de corrupção. Seus argumentos? Alguns citam suas visões de fé, como se estivessem em lugares religiosos e não em uma instituição que deveria se orientar pela laicidade, portanto, pelo respeito à Constituição.

O mesmo ocorre no debate sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo no Congresso Nacional. A busca é por reconhecimento legal, e tão somente com foco no casamento civil. Entretanto, seus opositores sacam do coldre, em inadmissível desrespeito à igualdade – outra cláusula pétrea constitucional -, referências religiosas na tentativa de derrubar a necessária separação entre Estado e religião, base do Estado moderno.

São vistas omissões de governantes no Poder Executivo no dever de proteger, garantir e defender os direitos humanos e a cidadania de LGBT por meio de políticas públicas de superação das discriminações contra tal diversidade humana, e de sua inclusão em áreas tais como saúde, trabalho, educação e segurança pública.

E o que dizer do Poder Judiciário, cuja missão é defender a Constituição e, portanto, a laicidade? No entanto, vemos tribunais ostentando crucifixo, em detrimento de outras religiões. Se seguisse a laicidade, nenhum símbolo seria posto, o que serviria como mostra do respeito a todas as crenças.

O direito a escolher ou não a uma religião também nos é fundamental, especialmente quando algumas religiões não aceitam LGBT. Nesse sentido, o ataque a outras religiões, principalmente as de matriz africana – essas majoritariamente inclusivas – e a conivência do Estado aos ataques civis que elas sofrem, também nos prejudica.

Por fim, os direitos reprodutivos e ao próprio corpo não devem ser cerceados por nenhum dogma religioso.

Pelo grande risco que significa ao Estado Laico para a cidadania de todas e todos, convocamos nesse momento e para fortalecer nosso movimento e luta, as mulheres, as pessoas negras, as minorias religiosas, minorias étnicas, ateus e agnósticos, para estar na maior Parada LGBT do mundo, trazendo seu protesto, sua manifestação em favor do Estado Laico e em defesa da igualdade.”


Nossas principais redes sociais:

Facebook: http://facebook.com/paradasp
Twitter: http://twitter.com/paradasp
Instagram: http://instagram.com/paradasp

 

0 364

Livros com temática LGBT não são assunto muito discutidos pela mídia, inclusive pela mídia LGBT, não é mesmo? A sorte é que os meninos do Chá dos 5 colocaram o tema em pauta e convidaram o escritor Fabrício Viana para um conversa super descontraída.

Fabrício é um conhecido autor brasileiro com vários livros publicados com temática LGBT, inclusive tem títulos premiados. Assista ao vídeo:

Gostou?

Deixe seus comentários!

0 653

Entre os dias 18 e 20 de novembro, o CEU Jaçanã – zona norte de São Paulo – será ocupado pela Pre-pa-ra Olimpíadas. Organizada por Murilo Gaulês, a programação reúne atividades esportivas e culturais com entrada franca.

Dentre os destaques, a “Gaymada São Paulo”, queimada LGBT que mensalmente ocupa o Largo da Batata, é presença confirmada no evento, que conta ainda com outras modalidades de esportes – como Futesapa, Vôlei das Bee, Yogay e Zumba de Salto.

Configura a programação completa:

Dia 18/11
16h COQUETEL DE RECEPÇÃO
17h NADO (DES)SINCRONIZADO (NÃO ACONTECERÁ EM CASO DE CHUVA)
17h30 DESFILE LACRADOR E QUEIMA DA PIROCA OLÍMPICA com a CiA dXs TeRrOrIsTaS
18h PERFORMANCE #FFFFFF com Danilo Patzdorf da Cia Perversos Polimorfos e Vocacionadxs de Dança do CEU Jaçanã
19h PERFORMANCE/DANÇA ESTUDO PATÉTICO DE EMBATE CONTRA O SOLIPSISMO E A APATIA com Carolina Nóbrega do Coletivo Cartográfico e Bruno Cezar
20h PERFORMANCE/DANÇA SINCERICÍDIO STAR WAR com Thaís Di Marco e Matheus José
20h20 ZUMBA DE SALTO ALTO/PERFORMANCE O SHOW TEM QUE CONTINUAR OU A SAGRAÇÃO DA PURPURINA com Murilo Gaulês e a CiA dXs TeRrOrIsTaS
20h45 VÍDEO DE ABERTURA E BOAS VINDAS SUAS LYNDAS

Dia 19/11
14h PERFORMANCE I CAN FEEL YOUR POWER com Juliana Melhado do Grupo Vão
14h30 YOGAY com Juliana Melhado e Coletivo Limiar
15h INÍCIO DOS JOGOS DE FUTEBOL E VÔLEI
15h PERFORMANCE TROCA-TROCA
15h GAYMADA SP
15h DIA DA DIVERSIDADE PAPO MIX com apresentação de Anderson Azevedo e Convidadxs, Dj Gui Almeida e shows de Dayanna Gon e Natt Maat
15h CENA TEATRAL PORCOTIO com Coletivo Anônimo de Atuadores
15h30 RODA DE CONVERSA CULTURA DO ESTUPRO E A MULHER LÉSBICA com Mônica Rodrigues da Cia Kiwi
16h30 RODA DE CONVERSA ARTICULAÇÕES POLÍTICAS DA JUVENTUDE LGBT com Núcleo LGBT da União da Juventude Socialista (UJS)
17h CENA TEATRAL “O MELHOR IRMÃO DO MUNDO” com Coletivo Anônimo de Atuadores
17h30 RODA DE CONVERSA TRANS EM TRANSITO, AS DIFICULDADES DE TRAVESTIS E TRANSEXUAIS COM O ESPAÇO URBANO HETERONORMATIVO
19h CENA TEATRAL YUZUHU com Coletivo Anônimo de Atuadores
20h DANÇA UÓMI com Rafaela Castro do Coletivo Anônimo de Atuadores

Dia 20/11
14h SHOW BANDA ALAMEDA DOS ANJOS
15h30 PERFORMANCE MEU NOME É DEUS com Coletivo Escopo
16h PISTA DE DANÇA QUEER com Dj André Eberhard
17h ENTREGA DAS MEDALHAS
17h40 SHOW DE ENCERRAMENTO com Grupo de Drags Riot Queens

Página do evento no Facebook:
https://www.facebook.com/events/1218405861551267

Serviço
Data: 18, 19 e 20 de novembro
Local: CEU Jaçanã
Endereço: Rua Antônio César Neto, 105 – Jaçanã
Horário: Sexta, a partir das 16h; sábado e domingo, a partir das 14h
Valor: Entrada Franca