Casal gay sofre agressões no Centro de Tradições Nordestinas

Caio Tomaz da Rocha e seu namorado foram agredidos neste sábado, 11, no Centro de Tradições Nordestinas em São Paulo, depois do show da Ivete Sangalo. Segundo entrevista dada ao portal G1, Caio diz que:

“Nós estávamos parados na frente do banheiro, esperando as duas pessoas que estavam com a gente e chegou dois frequentadores dizendo que a blusa que estava na minha mão era deles. Eles viram que a gente estava discutindo por causa da blusa, que o rapaz chegou e falou para a gente que a minha jaqueta era deles, e aí eles já me pegaram, dois seguranças, me pegaram pelo braço, começaram a me enforcar… a única oportunidade que eu tive para falar pra eles, que eu lembro, que foi: ‘Vocês estão me matando… tô ficando sem ar’”

Na mesma matéria, ele disse:

“Aí ele pegava e falava que eu tinha que morrer mesmo, que… gay e ladrão tinha que morrer. E nisso que me pegaram pelo pescoço, me jogaram no chão, começaram a me chutar… vinham muitos seguranças e me chutavam muito.”

E ainda continuou:

“Eles me pegavam e batiam minha cabeça no chão, porque eles queriam que eu ficasse desacordado e não deixaram eu pedir socorro. Eles falavam o tempo todo para mim que gay e ladrão tinha que morrer, que ali não era lugar para gay, era lugar para cabra macho. E teve um momento em que um dos seguranças falou pra uma das meninas que estavam com a gente, que se não tirasse a gente dali, eles iam apagar a gente. Eles falaram que se a gente continuasse ali, eles iam levar a gente de quebrada, iam meter tiro.”

A Secretaria de Segurança Pública, por meio de nota divulgada à imprensa, informou que a Corregedoria da PM instaurou procedimento administrativo para apurar a conduta dos policiais militares citados pelo casal. Já o CTN afirmou, também em nota, que não foi acionado pelas vítimas. E se as denúncias forem comprovadas, irá punir os responsáveis, pois ela não compactua e combate qualquer tipo de discrimianção por gênero, raça ou orientação sexual.


>> Aproveitando sua visita:

– Ajude a ONG APOGLBT SP, Associe-se!
– Curta as redes sociais da Parada LGBT de SP: Facebook / Twitter / Instagram
– Participe também do evento oficial da Parada no Facebook: Parada do Orgulho LGBT de SP 2018

Publicado por: Fabrício Viana
Fabrício Viana é jornalista (MTB 80753/SP), gay, coach, escritor premiado e responsável pela assessoria e comunicação da APOGLBT SP, ONG que realiza a maior Parada LGBT do mundo. Conheça Viana aqui fabricioviana.com