domingo, março 26, 2017
Nossa história

A Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo – APOGLBT, por meio de uma Petição Online, vêm publicamente solicitar ao nosso Governador do Estado de São Paulo, que dê continuidade ao processo de transferência do Museu da Diversidade Sexual (MDS), da sua atual sede, no Piso Mezanino da Estação República do Metrô de São Paulo, para a sua sede definitiva, na Avenida Paulista, nº 1.919, no Palacete Franco de Mello.
 .
Para isso, solicita a todas as pessoas interessadas neste processo, a assinar a Petição Online abaixo:
.

http://paradasp.org.br/peticaomds

 

Nosso Ato Basta! Chega de LGBTFobia, realizado agora dia 18/03, além da diretoria da APOGLBT SP, contou com a participação da Família Stronger, Mães pela Diversidade, Associação Cultural Dynamite, Familia Lobos,  Familia Vallentiny, Roda de Conversa, Comissão da oab de Jundiaí, Ong Liberdade de Amar, Instituto Nice, ONG Aliados (Aliança Pela Livre Identidade e Apoio â Diversidade de Orientação Sexual) de Jundiaí/SP, Cursinho Transformação, Forum LGBT de Mogi das Cruzes, Associação Casarão Brasil, Instituto Omindaré, Diversidade Tucana Municipal, Revolta da Lâmpada, Grupo de Advogados pela Diversidade Sexual e de Gênero, IBRAT, Ato a Comissão de Diversidade Sexual e Combate à Homofobia da OAB-SP, Revista Arco Iris, CAIS – Centro de Apoio e Inclusão Social de Travestis e Transexuais e diversos militantes independentes.

Em 65 dias de 2017, 70 LGBTS foram ASSASSINADOS no Brasil! O cruel assassinato da trans DANDARA no Ceará é apenas mais um de um genocídio diário. 338 HOMOCÍDIOS no ano passado.

Confira alguns vídeos do evento:

Algumas fotos:

ATO BASTA, CHEGA DE LGBTFOBIA!

Em 65 dias de 2017, 70 LGBTS ASSASSINADOS no Brasil!

O cruel assassinato da trans DANDARA no Ceará é apenas mais um de um genocídio diário. 338 HOMOCÍDIOS no ano passado. Precisamos pressionar o Governo Temer para aprovar a criminalização da homofobia!

A APOGLBT SP convoca todas as ONGs de militância, coletivos e militantes independentes para se unirem a este ATO BASTA, CHEGA DE LGBTFOBIA!

O ato será no dia 18/03/2017 na Praça Roosevelt, com concentração as 16h e início as 17h. Sairemos em caminhada pela Av. Ipiranga, Praça da República, Vieira de Carvalho e Largo do Arouche.

Até o momento, estão com a gente:
– Família Stronger
– Mães pela Diversidade
– Associação Cultural Dynamite
– Familia Lobos
– Familia Vallentiny.
– Roda de Conversa
– Comissão da oab de Jundiaí
– Ong Liberdade de Amar
– Instituto Nice
– ONG Aliados (Aliança Pela Livre Identidade e Apoio â Diversidade de Orientação Sexual) de Jundiaí/SP
– Cursinho Transformação
– Forum LGBT de Mogi das Cruzes
– Associação Casarão Brasil
– Instituto Omindaré
– Diversidade Tucana Municipal
– Revolta da Lâmpada
– Grupo de Advogados pela Diversidade Sexual e de Gênero
– IBRAT
– CAIS – Centro de Apoio e Inclusão Social de Travestis e Transexuais

Faça parte desta lista. Mande um e-mail para parada@paradasp.org.br e vamos, todas as pessoas juntas, promover este ato contra a LGBTFobia que, em 65 dias, já matou 70 pessoas LGBTs.

Serviço:

ATO BASTA, CHEGA DE LGBTFOBIA!
Dia 18/03, concentração as 16h
Local Praça Roosevelt – São Paulo / SP
Link do evento http://paradasp.org.br/atobasta

A 17ª Feira Cultural LGBT, promovido pela ONG APOGLBT, será realizada dia 15 de Junho (feriado), três dias antes da 21ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. Como tradição, a APOGLBT abre inscrições para todas as pessoas interessadas em ter uma TENDA de produtos, bebidas e/ou serviços no dia do evento.

Caso não conheça a Feira Cultural LGBT, veja fotos do ano passado aqui.

Para se inscrever e iniciar o processo formal, por favor, enviei por e-mail os seguintes dados:

Nome completo
Endereço completo
CEP
CNPJ o CPF
Fone fixo (com DDD)
Celular (com DDD)
E-mail
Cópia de todos os documentos e comprovante de endereço (pessoal e da empresa ou da ONG). Estes podem ser enviados por e-mail ou entregues pessoal em nossa sede.
Tipo de produto que irá comercializar (comida, bebidas, roupas, etc). No caso de ONG, que tipo de trabalho será desenvolvido.

Enviar tudo para o e-mail: neusamaria@paradasp.org.br
.

A Associação da Parada LGBT de São Paulo (APOGLBT SP) convida outras ONGs de direitos LGBTs, coletivos e militantes independentes para a reunião de apresentação do planejamento de trabalhos dos GTs (Grupos de Trabalho) para o Mês do Orgulho LGBT em 2017.

A reunião será dia 11/03, às 13h30, na União Geral dos Trabalhadores: Rua Aguiar de Barros, 144

Pedimos a gentileza para que, todas as pessoas interessadas, cadastre seus dados abaixo (caso já tenha se cadastrado em outro momento, não é necessário cadastrar-se novamente!):


Hoje temos mais uma missão cumprida. Tivemos o Bloco da Diversidade que reuniu nas ruas as pessoas que vivem a diversidade.

Em nome da APOGLBT SP, agradeço à Prefeitura de São Paulo, Polícia Militar, CET, Guarda Civil, aos que trabalharam nas unidades de saúde, AMBEV que nos patrocinou, Alinne Rosa que abrilhantou o bloco, DJ Adipe Neto, Drag Queen Tchaka e Carla Rangell como madrinha do Bloco.

Agora estamos focados preparando o Mês do Orgulho junto à 21ª edição da maior Parada LGBT do mundo para todos que vão para a Av. Paulista, no dia 18 de Junho, em busca de viver a diversidade que temos em nossa sociedade.

Fernando Quaresma
Presidente da APOGLBT SP

A Associação da Parada do Orgulho LGBT (APOGLBT SP) realizará no dia 16/06/2017 a 17ª edição do Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade e conta com a participação da sociedade para a indicação de personalidades, entidades, autoridades políticas e ações culturais que contribuíram para o avanço dos direitos humanos da população LGBT em 2016.

Para participar:

Para participar e indicar é simples. Basta preencher o formulário abaixo atentando-se para os campos obrigatórios. Cada pessoa pode participar apenas uma vez e fazer indicações em todas ou em apenas algumas das categorias propostas. Após a indicação, por favor, justifique e, se possível, forneça maiores informações (como links, contatos, detalhes, etc)

O formulário de indicação ficará disponível até o dia 31 de março de 2017. Convidem xs amigxs para participar também.

Dúvidas e outras informações podem ser tiradas pelo e-mail premio@paradasp.org.br com Diego Oliveira.

Sobre a premiação

.

O Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade (o vídeo acima é do prêmio no ano passado!) surgiu com o objetivo de lembrar os fatos mais significativos no cenário político, social e cultural para a população LGBT, contribuindo na promoção dos Direitos Humanos. Reconhecendo a atuação dos premiados como sendo de alta representatividade na vida de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. É também um momento de divulgação e valorização das atividades que contribuíram com o movimento na consolidação do respeito à diversidade, bem como um estímulo às práticas socialmente responsáveis.

O troféu para a cerimônia foi desenhado e doado à APOGLBTSP pelo arquiteto e jornalista Duílio Ferronato, desde a primeira edição do Prêmio. Uma réplica estará disponível no dia do evento, na Exposição 21 Anos de Parada, uma pequena amostra com os cartazes usados para divulgação dos temas da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo.

Participe, preencha o formulário e faça suas indicações:

A ONG APOGLBT SP (Associação do Orgulho LGBT de São Paulo), por meio de sua Assessoria de Comunicação, vem a público agradecer a homenagem recebida pela ONG Banda do Fuxico, por meio de seu presidente Roberto Mafra, recebida neste domingo (18/02).

A homenagem e reconhecimento pelos trabalhos prestados na cidade pela APOGLBT SP refletem um trabalho respeitoso de luta por direitos e visibilidade LGBT ao longo destes anos, seja pelo Bloco da Diversidade, Ciclo de Debates, Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade, Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (ainda hoje considerada a maior Parada LGBT do mundo) ou outros eventos/ações promovidos pela ONG.

São premiações/reconhecimentos como estes que fazem a APOLGBT SP seguir firme em seus objetivos e lutar, cada vez mais, por um mundo melhor para todas as pessoas LGBTs.

Nosso muito obrigado!

Exposição “Avenida Paulista” começou dia 17/02 e vai até 28/05/2017

Com esta exposição, o MASP volta a atenção para seu entorno, compreendendo a avenida Paulista não apenas como local onde o Museu está inserido, mas também como objeto de consideração e reflexão.

Trata-se de uma atenção significativa no contexto dos 70 anos do Museu (inaugurado em 1947 num edifício da rua 7 de Abril no centro de São Paulo e transferido para este edifício em 1968): a mostra representa um olhar para este local icônico da cidade, que é ao mesmo tempo cartão-postal e palco de embates e disputas de muitas ordens.

Quais são os temas que atravessam a avenida Paulista, com seus mais de 120 anos e 2.800 metros de extensão? Os contrastes econômicos e sociais, o capital financeiro e o comércio informal, o capital simbólico e as instituições culturais, as manifestações políticas e as questões de sexualidade (com uma das maiores paradas LGBT do mundo). Símbolo de São Paulo, a avenida Paulista carrega também as contradições, fricções e tensões de uma cidade rica, complexa e desigual.

A exposição é dividida em dois grandes segmentos. O primeiro segmento, na parede da esquerda e do fundo da galeria do 1o andar, inclui representações da avenida Paulista, com fotografias, documentos, pinturas, registros de ações performáticas, objetos e cartazes históricos de 38 autores, de 1891 a 2016, organizados cronologicamente. O segundo segmento é composto por 14 novos projetos comissionados para a exposição, que ocupam a entrada, o meio e o lado direito da galeria do 1o andar (André Komatsu, Cinthia Marcelle, Graziela Kunsch, Ibã Huni Kuin com Bane e Mana Huni Kuin, Lais Myrrha, Marcelo Cidade, Mauro Restiffe e Rochelle Costi com Renato Firmino), a galeria do 1o subsolo (Daniel de Paula), a sala de vídeo no 2o subsolo (Luiz Roque), o Vão Livre (Marcius Galan), e por uma intervenção na pinacoteca do 2o andar (Dora Longo Bahia), além de projetos não realizados de Ana Dias Batista e Renata Lucas reproduzidos no catálogo da exposição.

Como parte de Avenida Paulista, ocorre uma programação semanal de 13 oficinas e 8 sessões de filmes. As oficinas—propostas por companhias de teatro, coletivos, arquitetos e artistas—utilizam a avenida como palco e espaço criativo, ativando suas histórias e seus espaços de memória. As sessões de filmes—organizadas por Dora Longo Bahia com o grupo de estudos Depois do Fim da Arte—acontecem no pequeno auditório do Museu no 1o subsolo e refletem sobre o lugar do artista na cidade.

É importante pensar esta exposição como um desdobramento da vocação arquitetônica e urbanística do próprio edifício de Lina Bo Bardi (1914-1992), tendo em vista suas características fundamentais—a transparência, a permeabilidade, a abundância no uso do vidro, as plantas livres e a suspensão do volume de concreto—que permitem que o olhar e a cidade atravessem o Museu. Nesse sentido, pensar o MASP é debruçar-se sobre as questões da cidade e, sobretudo, sobre o local onde está instalado desde 1968.

Serviço:

Exposição AVENIDA PAULISTA
Local: MASP
Data: 17.02.2017 a 28.05.2017
Mais informações:
http://masp.art.br/masp2010/exposicoes_integra.php?id=286&periodo_menu=