domingo, março 26, 2017
Notícias
Notícias

A Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo – APOGLBT, por meio de uma Petição Online, vêm publicamente solicitar ao nosso Governador do Estado de São Paulo, que dê continuidade ao processo de transferência do Museu da Diversidade Sexual (MDS), da sua atual sede, no Piso Mezanino da Estação República do Metrô de São Paulo, para a sua sede definitiva, na Avenida Paulista, nº 1.919, no Palacete Franco de Mello.
 .
Para isso, solicita a todas as pessoas interessadas neste processo, a assinar a Petição Online abaixo:
.

http://paradasp.org.br/peticaomds

 

Nosso Ato Basta! Chega de LGBTFobia, realizado agora dia 18/03, além da diretoria da APOGLBT SP, contou com a participação da Família Stronger, Mães pela Diversidade, Associação Cultural Dynamite, Familia Lobos,  Familia Vallentiny, Roda de Conversa, Comissão da oab de Jundiaí, Ong Liberdade de Amar, Instituto Nice, ONG Aliados (Aliança Pela Livre Identidade e Apoio â Diversidade de Orientação Sexual) de Jundiaí/SP, Cursinho Transformação, Forum LGBT de Mogi das Cruzes, Associação Casarão Brasil, Instituto Omindaré, Diversidade Tucana Municipal, Revolta da Lâmpada, Grupo de Advogados pela Diversidade Sexual e de Gênero, IBRAT, Ato a Comissão de Diversidade Sexual e Combate à Homofobia da OAB-SP, Revista Arco Iris, CAIS – Centro de Apoio e Inclusão Social de Travestis e Transexuais e diversos militantes independentes.

Em 65 dias de 2017, 70 LGBTS foram ASSASSINADOS no Brasil! O cruel assassinato da trans DANDARA no Ceará é apenas mais um de um genocídio diário. 338 HOMOCÍDIOS no ano passado.

Confira alguns vídeos do evento:

Algumas fotos:

ATO BASTA, CHEGA DE LGBTFOBIA!

Em 65 dias de 2017, 70 LGBTS ASSASSINADOS no Brasil!

O cruel assassinato da trans DANDARA no Ceará é apenas mais um de um genocídio diário. 338 HOMOCÍDIOS no ano passado. Precisamos pressionar o Governo Temer para aprovar a criminalização da homofobia!

A APOGLBT SP convoca todas as ONGs de militância, coletivos e militantes independentes para se unirem a este ATO BASTA, CHEGA DE LGBTFOBIA!

O ato será no dia 18/03/2017 na Praça Roosevelt, com concentração as 16h e início as 17h. Sairemos em caminhada pela Av. Ipiranga, Praça da República, Vieira de Carvalho e Largo do Arouche.

Até o momento, estão com a gente:
– Família Stronger
– Mães pela Diversidade
– Associação Cultural Dynamite
– Familia Lobos
– Familia Vallentiny.
– Roda de Conversa
– Comissão da oab de Jundiaí
– Ong Liberdade de Amar
– Instituto Nice
– ONG Aliados (Aliança Pela Livre Identidade e Apoio â Diversidade de Orientação Sexual) de Jundiaí/SP
– Cursinho Transformação
– Forum LGBT de Mogi das Cruzes
– Associação Casarão Brasil
– Instituto Omindaré
– Diversidade Tucana Municipal
– Revolta da Lâmpada
– Grupo de Advogados pela Diversidade Sexual e de Gênero
– IBRAT
– CAIS – Centro de Apoio e Inclusão Social de Travestis e Transexuais

Faça parte desta lista. Mande um e-mail para parada@paradasp.org.br e vamos, todas as pessoas juntas, promover este ato contra a LGBTFobia que, em 65 dias, já matou 70 pessoas LGBTs.

Serviço:

ATO BASTA, CHEGA DE LGBTFOBIA!
Dia 18/03, concentração as 16h
Local Praça Roosevelt – São Paulo / SP
Link do evento http://paradasp.org.br/atobasta

A 17ª Feira Cultural LGBT, promovido pela ONG APOGLBT, será realizada dia 15 de Junho (feriado), três dias antes da 21ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. Como tradição, a APOGLBT abre inscrições para todas as pessoas interessadas em ter uma TENDA de produtos, bebidas e/ou serviços no dia do evento.

Caso não conheça a Feira Cultural LGBT, veja fotos do ano passado aqui.

Para se inscrever e iniciar o processo formal, por favor, enviei por e-mail os seguintes dados:

Nome completo
Endereço completo
CEP
CNPJ o CPF
Fone fixo (com DDD)
Celular (com DDD)
E-mail
Cópia de todos os documentos e comprovante de endereço (pessoal e da empresa ou da ONG). Estes podem ser enviados por e-mail ou entregues pessoal em nossa sede.
Tipo de produto que irá comercializar (comida, bebidas, roupas, etc). No caso de ONG, que tipo de trabalho será desenvolvido.

Enviar tudo para o e-mail: neusamaria@paradasp.org.br
.

A Associação da Parada LGBT de São Paulo (APOGLBT SP) convida outras ONGs de direitos LGBTs, coletivos e militantes independentes para a reunião de apresentação do planejamento de trabalhos dos GTs (Grupos de Trabalho) para o Mês do Orgulho LGBT em 2017.

A reunião será dia 11/03, às 13h30, na União Geral dos Trabalhadores: Rua Aguiar de Barros, 144

Pedimos a gentileza para que, todas as pessoas interessadas, cadastre seus dados abaixo (caso já tenha se cadastrado em outro momento, não é necessário cadastrar-se novamente!):

A cidade de Lins, no interior de São Paulo, tornou-se a primeira cidade brasileira a ter um prefeito assumidamente gay e casado. Neste sábado (4), o prefeito Edgar de Souza (PSDB) se casou com o empresário Alexsandro Luciano Trindade, com quem mantinha uma união estável há 13 anos.

Edgar começou na política em 2000 e foi eleito vereador. Em 2012, antes de ser eleito prefeito, ele decidiu assumir sua homossexualidade durante a campanha: ˜Falei no palanque: eu não tenho que esconder com quem vivo e quem eu amo. Se esconder não mereço ser prefeito de vocês.”

A declaração foi ótima para a oposição que disse que ele tornaria o “mundo gay” caso fosse eleito. A repercussão ficou tão grande que distribuíram cartazes pela cidade com ele e seu companheiro abraçados e os dizeres “Se votar no 45, essa família vai governar a sua”.

Porém, nada disso resolveu. Por mais que o meio político seja homofóbico, Edgard foi eleito e esta fazendo um bom trabalho. Em várias entrevistas, ele sempre disse que ele se propôs a ter uma vida aberta para que as pessoas pudessem ver que os homossexuais não são diferentes dos heterossexuais. E que política e ser um bom prefeito não tem relação com orientação sexual.

O casamento, com presença de familiares, pajens, daminhas de honra e integrantes da Diversidade Tucana contou até com a presença do governador Geraldo Alckmin.

Vida longa ao casal. E que mais políticos tomem isso como exemplo: saiam do armário e lutem por uma sociedade mais diversa para todos.


Hoje temos mais uma missão cumprida. Tivemos o Bloco da Diversidade que reuniu nas ruas as pessoas que vivem a diversidade.

Em nome da APOGLBT SP, agradeço à Prefeitura de São Paulo, Polícia Militar, CET, Guarda Civil, aos que trabalharam nas unidades de saúde, AMBEV que nos patrocinou, Alinne Rosa que abrilhantou o bloco, DJ Adipe Neto, Drag Queen Tchaka e Carla Rangell como madrinha do Bloco.

Agora estamos focados preparando o Mês do Orgulho junto à 21ª edição da maior Parada LGBT do mundo para todos que vão para a Av. Paulista, no dia 18 de Junho, em busca de viver a diversidade que temos em nossa sociedade.

Fernando Quaresma
Presidente da APOGLBT SP

Nos dias 21 e 22 de abril, as 19h, o NPP dará início a IV Jornada de Pesquisas em Psicanálise, sob o tema: A família pós-moderna e as novas patologias. O objetivo deste evento é a apresentação de palestras e trabalhos de estudantes de psicanálise.

Este ano o evento contará com a participação especial do homem trans João W. Nery e da travesti Amara Moira, que farão parte da Mesa Redonda de abertura e falarão de suas vivências, conquistas e trajetória de vida.

João W. Nery é psicólogo, consultor em gênero e sexualidade, escritor, ativista dos direitos humanos e primeiro transhomem operado no Brasil. Amara Moira é doutoranda em teoria literária pela Unicamp, feminista, militante dos direitos de LGBTs e de profissionais do sexo. Também é autora do livro “E se eu fosse puta”.

A Jornada será realizada na Rua Morgado de Mateus, 127- Vila Mariana – SP. O número de inscrições é limitado a 100 pessoas. O valor da inscrição é de R$ 30.

Serviço:

Mesa Redonda no NPP – A família pós-moderna e as novas patologias
Dia 21 de Abril de 2017
Horário: as 19h
Rua Morgado de Mateus, 127 – Vila Mariana – São Paulo / SP
Inscrição R$ 30.
Telefones 11 5082-4044 ou 5083-1456
E-mail para contato: atendimento@nucleodepesquisas.com.br

Segundo a Revista Attitude, a Disney Channel exibiu nos EUA o primeiro beijo gay em um desenho animado produzido pela Disney. O episódio da animação “Star vs. as Forças do Mal”, teve beijo entre dois homens, beijo entre duas mulheres e beijo entre casais formados por um homem e uma mulher.

Os beijos fazem parte de um número musical chamado “Apenas Amigos” (Just Friends) onde Star está com seu melhor amigo em um show quando todos os casais que estão no público começam a se beijar.

A cena dura poucos segundos e, segundo a mesma revista, o episódio causou controvérsia entre os jovens americanos, principalmente porque Star e Marco não ficaram juntos no final.

Nas redes sociais a polêmica gerada por grupos anti-LGBTs é com o envolvimento das crianças que assistem. Por outro lado, especialistas da área de edução e psicologia deixam claro que é só um beijo. E que ninguém é influenciado por isso. Se assim fosse, não existiriam gays, visto que todos eles cresceram vendo beijos heterossexuais nas novelas, filmes e TVs e nem por isso ˜se tornam heterossexuais˜.

Assista ao trecho aqui: