quarta-feira, agosto 23, 2017
Segmento G
Segmento - Gays

UMA CAMA QUEBRADA é um espetáculo livremente inspirado no livro “Urânios”, do escritor Roberto Muniz Dias, escrito em 2013. É uma tentativa de sintetizar o pensamento do escritor acerca da poliafetividade e da desconstrução dos desejos. A obra conta a história de três homens envolvidos numa relação poliamorosa.

A narrativa é entrecortada pelas falas deste mesmo personagem em três tempos: o convívio, a separação e o diálogo inusitado com a figura misteriosa de um quadro. A peça se aventura nestas memórias de um amor nada convencional. Entre o presente e o passado, um quadro de um galo colorido o remete sempre a esta paixão inusitada. O amor entre estes três homens se intensifica à medida que não descobrem o que fazer com ele. No final, as identidades são esfaceladas pela lembrança, pelos medos, ciúmes e a morte das coisas vivas.

A peça encerra um tema contemporâneo que discute as relações afetivas pós-modernas.

ENCENAÇÃO:

A montagem da peça teatral será realizada nas cidades de Brasília e São Paulo. Está programada uma temporada de duas semanas, de quinta-feira a domingo, em horários que serão estabelecidos no curso do projeto.

A previsão de encenação da peça será para o primeiro semestre de 2017.

O projeto intenciona problematizar questões tão presentes na sociedade moderna como afetividades direitos humanos e respeito à diversidade como forma de suscitar artisticamente o debate. Temas como estes são importantes para trazer à comunidade a conscientização sobre cidadania e diversidade sexual.

LINK DO CATARSE PARA COLABORAÇÃO:

Para contribuir com o projeto, basta seguir as orientações do Catarse.Me, site de financiamento coletivo de projetos onde o proponente, caso tenha 100% de contribuições de amigos e pessoas interessadas, consegue o apoio financeiro solicitado. Lembrando que não existe um valor fixo para contribuições.

Você pode apoiar o projeto até 21/08/2016, às 23h59m59s:

https://www.catarse.me/pt/camaquebrada

O cantor Ryan Beatty, de 20 anos, assumiu que é gay usando sua conta no Instagram nesta ultima terça (28). Para dizer isso ao seu público, ele usou a foto de um casal de homens com um balão escrito “poder gay”, com os seguintes dizeres:

“Orgulhoso de ser um homossexual indomável. Levei 20 anos sufocando no armário para me sentir confortável ao dizer isso, mas agora posso, finalmente, respirar. Consegui!”, escreveu Ryan.

Misturando acústico com música moderna, Ryan lançou seu primeiro EP, Because Of You, em 2012. O single Hey LA chegou no mesmo ano, junto com Little Thing, seus grandes sucessos.

Cantor Ryan Beatty gay Instagram

O Instagram de Ryan é o https://www.instagram.com/ryanbeatty. Neste momento a foto já tem mais de 1000 comentários. Vai lá e registre o seu também!

A bandeira arco-íris foi usada como símbolo de pacificação em 1960 na Itália, substituindo o “triângulo rosa”, símbolo usado até então para identificar homossexuais nos campos de concentração durante a Segunda Guerra Mundial.

A partir de 1978, o artista Gilbert Baker (amigo de Harvey Milk, importante militante LGBT) inspirado na mensagem de paz, do movimento hippie e da diversidade da sociedade, criou a primeira bandeira arco-íris LGBT com 8 cores.

Na versão original, a bandeira têm as cores rosa, azul-turquesa e anil; mas como nos dias de hoje a bandeira é costurada e não estampada, a aquisição de tecidos com essas cores era muito complicada. Várias alterações ocorreram até chegarmos na atual bandeira com 6 cores: vermelho, laranja, amarelo, verde, azul e roxo.

Veja o significado de cada cor:

Vermelho – fogo, vivacidade.
Laranja – cura, poder.
Amarelo – Sol, claridade da vida.
Verde – Natureza.
Azul – Arte, amor artístico.
Roxo – Espírito, vontade e luta.

Cores antigas da bandeira:
ROSA – Simboliza o sexo e o prazer carnal.
TURQUESA – Simboliza a harmonia e a pacificação.

Em todas as manifestações LGBTs as cores do arco-íris estão presentes, um símbolo internacional e universal da diversidade na luta pela equidade de direitos.

A Skol mais uma vez inova e mostra pessoas LGBT, negros e mulheres representados de forma positiva no comercial da cerveja.

Neste ano, a Skol foi a primeira marca oficial de cerveja da 20ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, onde já demostra sua atitude pró-respeito às minorias que a marca deve manter. Na fanpage oficial da Skol, as palavras:

“A estrada fica mais colorida quando não se está sozinho.
Cada passo é um avanço. Cada abraço, uma conquista.
Respeitar a diversidade é o caminho.
Dê o play e siga com orgulho.”

Assista ao vídeo:

orgulho lgbt
orgulho lgbt

Em 28 de Junho de 1969, nas primeiras horas da manhã, a polícia de Nova Iorque entrou no bar chamado Stonewall Inn, frequentado por LGBTs e, sob a alegação de irregularidades no local, prenderam diversas travestis. Não era a primeira vez que os policiais invadiam o local com essa desculpa. Mas foi a primeira vez que gays e lésbicas reagiram. E foram dois dias de confrontos intensos.

Essa batalha, de luta, ficou marcada na história do movimento LGBT do mundo todo. Por isso se comemora o dia mundial do Orgulho LGBT: pela primeira vez lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros deixaram de ser vítimas passando a lutar por respeito e direitos.

Nosso presidente, o advogado Fernando Quaresma, à frente da ONG APOGBLT (responsável pela maior parada LGBT do mundo), gravou um vídeo com um recado para todas as pessoas, movimentos sociais e interessados pela luta LGBT.

Assista agora mesmo:

Celebração, resistência e muito amor marcaram esse final de semana em Campinas/SP, Brasília/DF, Nova Iorque e Londres.

Vamos começar a semana com ótimas imagens?

Pedido de casamento ontem, durante a NYC Pride, pela Juliana Arroyo a sua namorada Erika Marrero, as duas são paramédicas do Corpo de Bombeiros/FDNY. Assista:

Ao Buzzfeed, Juliana justificou o porquê a NYC Pride foi o cenário desse momento:

”Eu queria no desfile homenagear as 49 vítimas do ataque em Orlando, e ao mesmo tempo dar a Erika algo positivo para lembrar do desfile.”

E não para por aqui, anteontem, durante a Pride London, dois casais de pombinhos da policia londrina protagonizaram pedidos de casamento e muito amor:

orgulho-lgbt-policiaisgays

orgulho-lgbt-policiaisgays-1

Lindos, não?

E tem muito mais! Aqui no Brasil, ontem, aconteceu a 16ª Parada do Orgulho LGBT de Campinas com o tema ”Diga sim à educação, e não a transfobia. Intolerância : o vírus mais assassino, contra qualquer forma de opressão.” A marcha reuniu 40 mil participantes durante 3km de trajeto:

paradalgbt-campinas

Não dissemos que havia mais? Olha que legal. A 19ª Parada do Orgulho LGBT de Brasília aconteceu na tarde deste domingo. O Eixo Monumental foi o cenário para o ato que reuniu, segundo a organização, 50 mil pessoas.

paradalgbt-brasilia

As 49 vítimas do ataque terrorista e homofóbico em Orlando (12/06) foram lembradas por tod@s presentes, a concentração ocorreu em frente ao Congresso.

paradalgbt-brasilia 2

Foi um final de semana muito lindo. E com todas as cores da nossa bandeira. Mais uma vez, alegria e militância fizeram parte dos LGBTs em um mundo onde ainda precisamos desta visibilidade, leis e direitos. Parabéns a todas as pessoas envolvidas, participantes, familiares e amigos!

Fabrício Viana é jornalista, escritor premiado e bacharel em psicologia. Ele produziu em seu canal no Youtube um vídeo explicando sobre o quanto é importante gays não só saírem do armário mas também se livrarem da homofobia internalizada.

Assista e compartilhe!

Para se inscrever no canal dele, entre no vídeo abaixo e clique em se inscrever:

https://www.youtube.com/watch?v=4g86bMeBmOw

Seu website, livros e redes sociais, aqui:
http://fabricioviana.com/livros

Como parte da ação #PrideForEveryone (#OrgulhoParaTodos), o Google lançou um vídeo ontem que faz o internauta participar, digitalmente, de várias Paradas do Orgulho LGBT no mundo dentro de uma experiência curiosa: 360º

Com imagens gravadas nas Paradas do Orgulho LGBT do Brasil, Estados Unidos, Colômbia, Índia, Austrália, Reino Unido, Irlanda e Itália, o usuário pode, com um click do mouse, mudar a câmera para todos os lados e “sentir” como se estivesse participando daquele momento:

O projeto tem o objetivo de trazer a sensação de empolgação ao fazer parte da celebração pelo respeito à diversidade, pois ”Há pessoas que infelizmente não podem participar por conta de leis que criminalizam pessoas LGBTs ou por medo de serem discriminados pela família e amigos”, segundo pesquisa da empresa Engadget.

Na 20ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, funcionários do Google com seus parentes e amigos na marcha registraram com a câmera 360° graus alguns momentos com vista para a gigante bandeira da visibilidade trans, além dos 3 milhões de participantes.

Precisamos lutar por nossos direitos! Sempre! Mas também precisamos de diversão. Por isso selecionamos para vocês seis rádios e programas on-line LGBTs com muita música para você curtir sozinhx ou com xs amigxs! Se joga!

radio-lgbt

1 – Freedom 97 – O único programa LGBT online e streaming da rádio brasileira, acontece aos domingos a partir das 18h com participação dos djs famosos na cena LGBT que apresentam sets para esquentar, ferver o seu final de semana. A apresentadora é a Gabrielle Sant’Anna.
http://www.97fm.com.br

2– Lado Bi – ” Cultura e cidadania, na real e com local”. Este é o bordão do talk show comando por James Cimino e Marcio Caparica a página oficial é um espaço de notícias e acervo de podcats das edições anteriores. O programa online tem edições disponíveis no Soundcloud, ITunes e Uol Deezer.
http://ladobi.uol.com.br

3– Vibe Hitz
A rádio nasceu em 2004 e tem um portal de notícias e espaço cultural LGBT. Acesse o site e tem área para ouvir pelo tunein e extensões como Real Player, Winamp, Windows Media Player… Ah! Tem a fanpage para você compartilhar as novidades ”casamigas”.
http://www.vibehitz.com.br

4 – Omega Hitz
Ela existe há quase 7 anos, hoje é uma rádio online e possui um acesso de set mix dos djs referências na cena LGBT brasileira e internacional. O site tem espaço para você assistir os clipes das estrelas pop e acessar o espaço da rádio no ITunes.
http://omegahitz.com.br

5 – GayFM
A rádio alemã nasceu ano passado, possui um nome que claro reforça sua referência quando buscamos novidades em streaming LGBT, clique aqui e conheça o site, aproveite e tenha a GayFM em seu Android ou acesse o ITunes.
http://www.gayfm.de

6– Rádio Circuito Mix
A Circuito Mix existe há 12 anos, a rádio é destinado ao público jovem fãs de pop, rock e R&B e nunca para! Funciona 24 horas/dia. 🙂 Acesse a página oficial e divirta-se.
http://www.circuitomix.com.br

A edição deste ano da mostra Todos os Gêneros toma todas as salas do instituto abertas ao público para a arte e a diversidade com peças de teatro, mostras de filmes, música, debates, gravação de depoimentos do público e as atividades do Fim de Semana em Família; elas revelam a produção e a reflexão sobre a transgeneridade e os conflitos de gênero no mundo contemporâneo que passam pela afirmação da multiplicidade infinita do sexo

Durante nove dias, de 25 de junho a 3 de julho, o Itaú Cultural abre o seu espaço para a arte e a diversidade com a totalidade da programação voltada para a mostra Todos os Gêneros – com exceção da exposição Arquivo Ex Machina – Identidade e Conflito na América Latina, em cartaz no instituto, e o Espaço Olavo Setúbal que expõe permanentemente as coleções Brasiliana e de Numismática do Itaú. A casa torna-se uma espécie de palco giratório para apresentar não somente a produção originada na multiplicidade de gêneros em diferentes segmentos artísticos – teatro, performance, cinema – como também é fórum para o debate, a reflexão e a compreensão, desde cedo, das diferenças do outro.

A mostra tem curadoria compartilhada entre diferentes núcleos do instituto – Cênicas, Música, Audiovisual e Literatura, Comunicação, Produção, além do Educativo e do CMDR que prepararam as atividades do Fim de Semana em Família, voltadas para as crianças, dentro deste universo. Assim, a programação traz seis dias de teatro e um de performance, dois ciclos de filmes, três mesas para debate, oficinas e contação de histórias para o público infantil e o show de Jaloo. Toda a programação tem interpretação em Libras.

A atriz cubana trans Phedra de Córdoba (1938-2016) seria uma das participantes nesta programação. Com a sua recente morte, no entanto, o Itaú Cultural a homenageia na publicação que traz a programação, com textos sobre o tema, e um escrito em especial para ela por Dyl Pires, ator do grupo os Satyros, com quem trabalhou por muitos anos, e uma ilustração da Laerte também em sua homenagem. A publicação é disponibilizada para o público. O visitante pode contribuir, ainda, com a reflexão sobre o conceito de gênero e o que pode definir o ser homem e o ser mulher na sociedade contemporânea respondendo a diferentes perguntas a cada dia do evento, com exceção da segunda-feira. Elas serão gravadas e, com autorização, divulgadas no CANAL do site do instituto (www.itaucultural.org.br).

Teatro

De 25 a 29 de junho (sábado a quarta-feira) e em 2 de julho, o último sábado, o palco do Itaú Cultural apresenta a reestreia do documentário cênico Luiz Antonio – Gabriela, com a Cia. Mungunza de Teatro. A direção é de Nelson Baskerville, que coloca em cena uma parte da sua própria história, na qual o seu irmão mais velho, homossexual, desafia as regras de uma família conservadora dos anos 1960 e parte para a Espanha sob o nome de Gabriela.

O Território Sirius Teatro traz Joelma, com a história da inadequação de uma pessoa por 30 anos até realizar a cirurgia de redesignação sexual e mudar completamente o rumo de sua vida. O homossexual ou a dificuldade de se expressar, é a peça do Teatro dos Extremos com duas personagens exiladas na Sibéria, como castigo por terem mudado de sexo, em uma narrativa que gira em torno do melodrama e do absurdo. Por fim, Noite bizarra, recalcada e bipolar é uma performance-celebração em clima de cabaré com Princesa Ricardo, Dalvinha Brandão e Darlene LePetit. Veja aqui mais informações sobre a programação e fotos para download.

Cinema

Entre obras documentais, experimentais, de ficção e de animação, A Mostra Audiovisual de Curtas-Metragem exibe 10 obras que falam das diferentes questões que permeiam o universo da diversidade de gêneros. Todas as sessões são seguidas de debate com os realizadores dos curtas. Para chegar a estas obras, o Núcleo de Audiovisual do instituto assistiu a mais de 80 filmes em busca de vozes ainda pouco ouvidas dentro dessa temática – como o protagonismo de mulheres trans ou lésbicas, animações, filmes voltados para o público infantil. A grade exibida em 30 de junho e 1 de julho (quinta-feira e sexta-feira), sempre às 20h, trata de todas essas questões por meio de filmes experimentais, documentários, animação e ficção.

Outra mostra, SSEX BBOX, apresenta no dia 26 (domingo), às 11h, três filmes documentais de Priscilla Bertucci, fundador do coletivo que dá nome à série e curador deste ciclo de cinema. O personagem do primeiro é a cartunista Laerte, o do segundo é o artista e antropólogo queer Pedro Costa, que vive em Berlim e o terceiro cujos principais reflete sobre a sexualidade na infância, religião, preconceito, identidade de gênero, orientação afetivo-sexual. Veja aqui mais informações sobre todos filmes em cartaz e fotos para download.

Debates

No dia 25 (sábado), às 15h, o Circuito [SSEX BBOX], a programação de Todos os Gêneros promove a mesa Roda de partilha: feminismo interseccional [atividade vivencial]. Um dia depois, no mesmo horário, é reeditada a mesa realizada na 1ª Conferencia Internacional [SSEX BBOX]& Mix Brasil Pingos nos is: A inclusão radical e a comunicação não violenta.

Na terça-feira, dia 28, às 15h o tema é Copi: transgressão e teatralidade, em mesa organizada pelo Núcleo de Cênicas do Itaú Cultural.  Ela trata da importância artística de Copi, pseudônimo do desenhista de comics, dramaturgo e escritor argentino Raúl Damonte Botana (1939-1987), radicado pelo exílio em Paris. Ator-travesti, homossexual e uma das primeiras vítimas da aids, a sua ampla produção, é reconhecida em países como França, na Itália e na Espanha. Veja aqui mais informações sobre as mesas e fotos para download.

Música

Acabando de voltar da Europa depois de se apresentar no festival espanhol Primavera Sound. E antes de lançar o seu primeiro álbum autoral, #1, Jaloo faz o show de encerramento da mostra Todos os Gêneros. Nos dias 1 e 2 de julho, à noite, ele leva ao palco da Sala Itaú Cultural a sua homenagem à dança e à boa música. No repertório, traz músicas do novos disco, como Odoia, Ah! Dor! Pa PararaLeia mais sobre o músico e encontre fotos aqui.

Fim de Semana em Família

Em 25 e 26 de junho (sábado e domingo), sempre às 14h, o coletivo As Rutes, que desde 2007 realiza intervenções artísticas que abram espaço para o Encantamento do Mundo, ministra a Oficina dos Princípiosa fantasia da mistura. Em seguida, às 16h, o mesmo grupo faz a contação de história O jogo de você: contos ancestrais sobre a fantasia de ser o que se é.

Também encerrando a programação da mostra Todos os Gêneros, mas à tarde e para o público mirim, nos dias 2 e 3 de julho (sábado e domingo), às 14h, Gustavo Silvestre, designer-artesão e estilista de Recife, conduz a Oficina de flores em crochê. Às 16h, a ilustradora Marcia Misawa com Thiago Minamisawa e Bruno Castro ministra a Oficina AMAR de leitura, diálogo e artes.

Como em todos os Fim de Semana em Família, o público conta com o Cantinho da Leitura, instalado no Piso Paulista, térreo do Itaú Cultural, onde estão disponíveis 30 publicações do acervo infantojuvenil da biblioteca do instituto. Na Feirinha de Troca de Livros, Gibis e DVDs, no mesmo andar, as crianças podem conhecer e levar para casa uma nova história trocando uma obra de sua biblioteca por outra, escolhida entre os materiais disponibilizados pelo instituto, que, especialmente para esta mostra, adquiriu novos títulos que abordam a questão de gênero. Mais informações e fotos para donwload, aqui.