quarta-feira, agosto 23, 2017
Segmento L
Segmento L - Lésbicas

Idealizado pelo jornalista, escritor e bacharel em psicologia Fabrício Viana, o projeto Educando Para Diversidade tem como objetivo prestar consultoria, treinamentos, cursos, workshops e palestras sobre Diversidade Sexual para escolas, ONGs e empresas.

Fabrício Viana, que já foi gerente de comunicação e é especialista em marketing digital, é um nome conhecido dentro da comunidade LGBT. Além de ter idealizado alguns projetos sociais para a comunidade no passado (ver Wikipédia), ele também escreve Literatura LGBT tendo, até o momento, publicado de forma independente quatro livros: O Armário (sobre a homossexualidade e os processos psíquicos que envolvem a “entrada e saída do armário”), Ursos Perversos (contos homoeróticos), Orgias Literárias da Tribo (coletânea LGBT) e seu mais recente sucesso chamado Theus: do fogo à busca de si mesmo (romance homoafetivo). Todos os seus livros podem ser comprados na versão impressa ou digital por meio do seu site pessoal

Profissionalmente, Viana já trabalhou na ABN AMRO Bank, na multinacional Inter.Net, Catho, EmpregosComBr, Porto Seguro e DigiPronto, ocupando diversos cargos como gerente de negócios digitais e de comunicação e marketing. Inclusive, presta serviços de assessoria de comunicação pra a APOGLBT, ONG responsável pela maior Parada LGBT do mundo.

Desde 2006, quando lancei meu primeiro livro sobre a homossexualidade, venho palestrando em diversas regiões deste imenso Brasil sobre diversidade sexual. A ideia de lançar o projeto Educando Para Diversidade foi apenas uma forma de formalizar, por meio de um website e página no Facebook, algo que já faço há anos.“, enfatiza Viana.

Segundo ele, o site, lançado recentemente, terá vídeos, informações e estudos sobre o mercado X diversidade, ebooks e materiais específicos.

Infelizmente o tema Diversidade Sexual ainda é um tabu em muitas organizações, escolas e grupos de pessoas em vários lugares. A ideia é levar informações sérias e corretas sobre o tema para muita gente! Acredito que uma das grandes formas de acabar com o preconceito é educando.“, completa.

Serviço:

Projeto Educando Para Diversidade
Consultoria, treinamentos, cursos, workshops e palestras sobre
Diversidade Sexual para escolas, ONGs e empresas
Website:  http://educandoparadiversidade.com.br
Facebook: http://facebook.com/educandoparadiversidade

Foto Ilustração: PixaBay

Parece que não, mas diversos casos de LGBTfobia surgem todos os dias sem aparecer na mídia. Pelo menos não foi o caso de um líder religioso acusado de estupro a uma jovem lésbica integrante da Igreja Batista em Rio Doce, em Olinda (PE), que graças a uma liminar ganhou sua liberdade no final da semana passada. Sua saída da prisão foi marcada por protestos de entidades civis, que pedem a revogação da decisão judicial. Do outro lado, a vítima apresentou nesta sexta-feira (04) no Ministério Público de Pernambuco (MPPE) nota em que se declara perseguida pelos fiéis da igreja que defendem o religioso.

O crime, que aconteceu em 2015, só veio a tona quando a vítima contou a uma amiga em 2016 e soube que ela não foi a única vítima. Segundo ela, o pastor foi até sua casa com o pretexto de chamá-la de volta as atividades de culto, das quais ela se afastou. Ele dizia que escutou boatos que ela só se afastou porque estava de caso com outra mulher. Em seguida pediu para usar seu banheiro, da onde voltou nu, com o pênis ereto e com uma camisinha nele. Ele a arrastou pelo quarto e disse que isso seria para que ela “começasse a gostar de homem”.  Ela relutou e conseguiu pelo menos evitar a penetração.

Na sexta, ela compareceu acompanhada dos seus pais na Sede das Promotorias do MPPE. Lá, a jovem se reuniu com a promotora de Justiça Henriqueta de Belli e advogados da ONG Gestos e do Instituto Boa Vista para relatar o caso e uma declaração de acompanhamento psicológico.

Segundo Henriqueta ao Ultimo Segundo, “A ideia da reunião foi informar e convocar a sociedade civil, por meio das ONGs que trabalham com violação de direitos humanos, femininos e LGBTI (lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros e intersexuais) e pela imprensa, para dar ciência do julgamento do mérito, que dever ocorrer em breve. Além disso, a audiência do caso ocorrerá ainda esse mês

Ainda segundo relato da vítima, o pastor a ameaçou, dizendo que deveria se calar, já que ninguém acataria a versão dela sobre o estupro. Em seu relato ao MPPE, a moça chorou dizendo que vive sendo xingada em locais públicos e até mesmo na escola pelos fiéis do pastor. E a única coisa que ela pede é justiça.


A Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (APOGLBT SP) convida outras ONGs de direitos LGBTs, coletivos e militantes independentes para a reunião “Que Parada Nós queremos?”, demais atividades do segundo semestre de 2017 e discutir sobre o tema da edição 2018 da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo.

A reunião será neste sábado, 05/08, das 14h às 17h30 no Sindicato dos Comerciários, Rua Formosa, 99 – 12º andar.

Pedimos a gentileza para que as pessoas interessadas em participar das reuniões, que não estão cadastradas ainda em nosso Grupo no Google, que envie um e-mail para: paradalgbtsp@googlegroups.com para se cadastrarem e serem informadas sobre as reuniões.

 

Foto: Divulgacão/Reprodução

Infelizmente Jair Bolsonaro é um nome conhecido pela comunidade LGBT. Motivo? Sempre que tem oportunidade ele se posiciona claramente contra diversas questões que envolvem gays, lésbicas, bissexuais e pessoas transgêneros. Tanto que a Revista Lado A, no ano passado, relacionou 100 frases homofóbicas de Bolsonaro publicadas na mídia. Fora diversas outras disseminadas em rádio, programas de TV, etc.

O que não se espera, mas que acontece, são LGBTs que – mesmo assim – ainda apoiam o político. Claro que vivemos em uma democracia onde cada um é livre para defender quem quiser, mas ser LGBT e apoiar alguém que se posiciona claramente contra LGBT é, no mínimo, estranho. E foi justamente isso que Pepê e Neném, lésbicas assumidas, fizeram recentemente em vídeo. Pior, ainda criticaram beijo gay em público e diversas outras questões que, heterossexuais, fazem sem problema algum.

O vídeo que elas gravaram, publicado neste domingo (30/07) em uma conta do Youtube e também na página oficial de Bolsonaro, somando, já tem mais de um milhão de visualizações.

Assista:

Entre as criticas, Pepê e Neném disseram que tem filhos e que eles não merecem ver dois homens se pegando. Para Fabrício Viana, autor do livro sobre a homossexualidade chamado O Armário, “Se uma criança ver dois homens se beijando e for educada adequadamente pelos pais, ela não se tornará homossexual por isso. O medo é do adulto transferido para a criança. Eu mesmo escrevi um artigo em 2006 sobre isso e que explica detalhadamente sobre como educar os filhos. Falta informação. Falta conhecimento. Entendemos, mas elas só estão reproduzindo um preconceito.”.

Outras questões, como gays se pegarem em público, é uma fala desnecessária: heterossexuais também se pegam em público. E não são todos os heterossexuais ou LGBTs que fazem isso. Não se pode generalizar, além do que, atos obscenos em público é crime (por isso a fala foi desnecessária). Mas demonstrações de carinho e afeto não.

Ainda para Viana, “Algumas falas me lembram de um vídeo que gravei explicando o conceito de homofobia internalizada, onde todos nós, gays, crescemos introjetando informações ruins sobre a homossexualidade: que ela é pecado, ruim, suja, etc. E mesmo quando nos assumimos, não toleramos o beijo gay em público e outras coisas que heterossexuais fazem livremente. É só uma questão de entender e não reproduzir este discurso discriminatório“, completa.

Em todo caso, o que você pensa a respeito?

Participe! Deixe sua opinião!

No dia 05 de agosto será realizado em São Paulo a primeira edição do TODXS Conecta, organizado pela primeira startup social brasileira sem fins lucrativos que promove a inclusão LGBT+ chamada TODXS, empoderando a comunidade LGBT+, educando a sociedade e transformando o Brasil em um país verdadeiramente inclusivo e livre da discriminação.

Sobre o evento:

A temática da edição é “Quebrando a Invisibilidade”. Seu objetivo é trazer palestras e apresentações sobre histórias extraordinárias de pessoas LGBT+ que trabalham pelo que acreditam, transformando o Brasil em um lugar melhor para todxs. Com isso, o TODXs Conecta deverá mostrar que a comunidade LGBT+ está presente nas mais diversas áreas e segmentos do País, causando impacto e conquistando espaço, ajudando a quebrar a invisibilização da comunidade LGBT+ brasileira.

Sobre os palestrantes:

O evento contará com 13 palestrantes, artistas e líderes LGBT+ e mais de 200 jovens extraordinárixs juntxs no mesmo espaço por um dia para falar de inspiração e transformação na comunidade LGBT+.

Serviço:

TODXS Conecta
Dia 05 de Agosto de 2017
Horário das 9h30 às 19h
Auditório da Dow. Av. das Nações Unidas, 14771 – São Paulo/SP
INGRESSOS: Compra de ingresso, meia-entrada e meia-entrada solidária (doação para a Casa 1) em: http://bit.ly/TODXSConecta

Hoje, dia 25 de Julho, é considerado o Dia Nacional do Escritor. A data, criada em 1960 pela União Brasileira de Escritores, é usada para lembrar dos autores que viajam e levam todos nós em suas viagens incríveis pelo mundo da fantasia, do erotismo, do romance ou mesmo em suas produções de não ficção.

Para comemorarmos este dia, selecionamos alguns dos escritores contemporâneos e brasileiros de livros com temática LGBT que você precisa conhecer. Como é impossível fazer uma lista com todos os existentes, estes são apenas alguns. Caso conheça outros, registre nos comentários!

.

Alexandre Willer Melo é escritor. Sua principal publicação é “Maré Vazante e outras estórias”
Site do autor: https://www.clubedeautores.com.br/authors/48555

.

Enrique Coimbra é escritor e youtuber. Entre seus principais livros estão “Sobre Garotos que Beijam Garotos” e “Um Gay Suicida em Shangri-la”
Site do autor: http://www.enriquecoimbra.com.br

.


Diedra Roiz é escritora. Entre suas principais publicações está a “Coleção Arco-Iris”, constituída por sete livros.
Site da autora: http://www.diedraroiz.com

.

Fabricio Viana
 é jornalista, escritor premiado e bacharel em psicologia. Entre suas principais obras estão “O Armário”, “Orgias Literárias da Tribo” e o romance gay “Theus: do fogo à busca de si mesmo”.
Site do autor: http://fabricioviana.com/livros
.
.

Hanna Korich
 é escritora, diretora, produtora, roteirista e editora da Brejeira Malagueta. Ela é uma das autoras do livro “Frente e Verso – Visões da Lesbianidade”.
Site da autora: http://www.editoramalagueta.com.br
.
.

Hugo Luminato
 é ator, escritor e gestor de marketing. Sua principal publicação é o livro “Sr. Villela: Meu amigo imaginário”
Site do autor: https://www.hugoluminato.com
.
.

Icaro Trindade
 é escritor e estudante de psicologia. Entre seus principais livros estão “Garoto à venda” e “Recomeço”
Facebook do autorhttps://www.facebook.com/icarotrindadeautor
.
.

Katia Viula
 é professora, tradutora e escritora de contos lésbicos e poesia LGBT. Entre suas principais obras está o livro “DivaGay”
Página no Facebook: https://www.facebook.com/textoslgbt
.
.
Karina Dias é jornalista, escritora, roteirista e produtora. Entre seus principais livros estão “As Rosas e a Revolução” e “Aquele dia junto ao mar”
Site da autora: http://www.karinadias.com.br
.
.
Lorena Miyuki é escritora, crítica e pesquisadora de literatura juvenil LGBTQ. Entre suas principais publicações está o livro “Aprendendo a Gostar de Garotos”
Site da autora: http://www.marcadocomletras.com.
.
.

Lea Carvalho
 é escritora e publisher da Metanoia Editora, especialista em gênero e sexualidade. Sua principal publicação é “No caminho do Arco-Íris: frases para um mundo melhor”
Site da autora: http://metanoiaeditora.com

.

Mariana Veiga é escritora e coordenadora no GrupoHPM. Entre suas obras está o livro “Caminhos Cruzados”
Site da autora: http://grupohpm.lgbt

.

Occello Oliver é escritor e publisher da Cultura em Letras Edições e da Aliança Cultural Edições. Entre suas principais publicações estão “Censurado” e “As 7 cores que amei”
Site: http://www.culturaemletrasedicoes.com.br

.


Roberto Muniz Dias é professor, escritor, dramaturgo e mestre em literatura. Entre seus livros estão “Adeus a Aleto” e “Uma Cama Quebrada”
Site do autor: http://robertomunizdias.com

.

Sérgio Viula é professor, escritor e editor do blog foradoarmario.net. Entre seus livros estão “Em Busca de Mim Mesmo” e “O homem que amava mendigos”
Site do autor: http://foradoarmario.net

.

Silvano Sulzart é pedagogo, escritor e mestre em educação. Entre seus livros estão “O Diário de Davi”
Site do autor: http://silvanosulzart.com.br

.

.

Como foi escrito lá em cima, ainda existem muitos outros. Inclusive aqueles que nunca devem ser esquecidos, pois possuem uma contribuição significativa para toda a comunidade LGBT (João Silvério Trevisan, Caio Fernando Abreu e tantos outros).

Gostou? Conhece mais alguém? Deixe nos comentários!

Uma pulseira do arco-íris adquirida no exterior e perdida aqui no Brasil deu origem à uma ideia. A dificuldade de encontrar produtos direcionados à comunidade LGBT fez com que a ideia se tornasse um projeto. Assim nasceu a Logay, uma loja online que acredita no sonho da inclusão, na igualdade e no respeito à diversidade.

Dedicada ao público que acredita que a vida é bonita demais para ficar dentro de um armário, a Logay aposta em sua Linha Pride, que conta com produtos exclusivos criados e elaborados para exaltar o orgulho e o jeito colorido de ser de cada um de nós. Dentre as opções, encontram-se peças de vestuário, acessórios, presentes e até itens de decoração, como almofadas e quadros. Essa demonstração de respeito e tolerância levaram, também, à escolha de produtos multimarcas que abraçam a causa.

A comunidade sempre procurou abraçar as tendências da moda e do bom gosto, e este fator contribuiu para moldar a Logay. Logar é o ato de se identificar. Partindo deste princípio, a loja quer que você se identifique com ela. Você que sempre veste as cores do arco-íris, seja diariamente ou através de pequenos – ou grandes –  gestos.

Recentemente, na última 17ª Feira Cultural LGBT de São Paulo, a Logay firmou uma parceria com a APOGLBT – Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, na qual um kit foi elaborado para comemorar a Parada Gay e o Mês do Orgulho. Parte das vendas foi revertida para a associação e foi um enorme sucesso!

Para conhecer a loja, basta acessar http://logay.com.br. A entrega é feita para todo o Brasil – frete grátis para as compras acima de R$190 – e é oferecido parcelamento em até 3x sem juros para parcelas mínimas de R$50. Você ainda pode contatá-los através do e-mail contato@logay.com.br e seguir a página no Instagram – @logaybr – e no Facebook – http://fb.com/logaybr.

A equipe Skokka : O ator, escritor e produtor Rafael Bolacha, as atrizes La Diva Croquete e Vallentini, e os promotores Fabiana e Diego.

Nossa 21ª Parada do Orgulho LGBT foi realmente incrível. O tema “Independente de nossas crenças, nenhuma religião é lei! Todas e todos por um Estado Laico.”, discutido pela Associação da Parada LGBT de São Paulo (APOGLBT SP) junto com coletivos, ONGs LGBT e militantes independentes foi propagada por centenas de veículos de comunicação no Brasil e no mundo: levando a sociedade a uma grande reflexão.

O que não esperávamos é que, poucos dias antes, receberíamos um terceiro apoiador que ficou lado a lado de empresas parceiras como a Microsoft e a Accor Hotels. Sim, ela mesma, o Skokka!

Mas, se você não conhece, nós te apresentamos: Skokka é um site de relacionamento adulto que agrega todas as cores da nossa diversidade sexual: travestis, gays, lésbicas, casais, heterossexuais, enfim, um lugar onde todos são bem-vindos!

Presente em mais de 20 países, entre eles Holanda, Alemanha, Suiça, Itália, Colômbia e Peru, a rede Skokka tem milhares de pessoas cadastradas e o relacionamento adulto, focado em sexo, não se restringe a ele: você pode se cadastrar para buscar o amor da sua vida ou simplesmente fazer novos amigos.

Se você gostou, siga o Skokka nas redes sociais: Twitter, Facebook e Instagram.

E não esqueça de fazer seu cadastro aqui: https://br.skokka.com/

Uma das melhores maneiras de presenciar e salvar um acontecimento em nossa memória é registrando-a em foto ou vídeo. Ver o vídeo produzido por alguém é, na verdade, enxergar pelo olho de outra pessoa.

Por isso, sabendo que nem todas as pessoas tiveram a oportunidade de ir em nossa Parada do Orgulho LGBT, nós juntamos 07 vídeos produzidos por Youtubers, e que imprimem diferentes visões que irão, de certa forma, proporcionar a experiência da Parada à todos.

Confira:

– Canal Fábio Pastorello

 

– Canal Chá dos 5

 

– Canal DNA da Balada

 

– Canal Comprei um unicórnio

 

 

– Canal Leonardo Azevedo

 

– Canal Lilly&Bea

 

Canal das Bee

Letícia e Daniele

Eventos como a Parada LGBT de São Paulo são únicos: Nele, pessoas se conhecem, direitos são reivindicados, o amor descoberto, e como não poderia ficar de fora, vários pedidos de casamento são feitos. E são tantos que infelizmente a gente não dá conta de registrar. Exceto por um!

Na edição desse ano, o “sim” foi dito pela carioca Daniele que agora é noiva de Letícia, paulistana. E em cima de um dos nossos trios!

Letícia e Daniele se conheceram durante a 17ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, em 2013. Aquilo que elas pensaram ser apenas algo passageiro mudou completamente a vida das garotas.

O relacionamento começou, elas foram morar juntas e se tornaram mães de 3 filhos de 4 patas. Com a relação estável, e certa de que Daniele é o amor de sua vida, Letícia entrou em contato no final de 2016 com o Grupo de Trabalho que coordena o trio de Lésbicas e Bissexuais da APOGLBT SP para pedir ajuda na realização de um sonho: fazer o pedido de casamento em cima de um dos trios da Parada LGBT de São Paulo. Tornar o momento único e especial.

E foi assim que o pedido aconteceu! E para a alegria de todos, Daniele disse sim.

E você? Tem algo deste tipo para nos contar? Aproveite os comentários, ou ainda, vai lá nas nossas redes sociais e comenta! Parada do Orgulho LGBT também tem – e muito – amor!