domingo, março 26, 2017
Vídeos LGBT

Segundo a Revista Attitude, a Disney Channel exibiu nos EUA o primeiro beijo gay em um desenho animado produzido pela Disney. O episódio da animação “Star vs. as Forças do Mal”, teve beijo entre dois homens, beijo entre duas mulheres e beijo entre casais formados por um homem e uma mulher.

Os beijos fazem parte de um número musical chamado “Apenas Amigos” (Just Friends) onde Star está com seu melhor amigo em um show quando todos os casais que estão no público começam a se beijar.

A cena dura poucos segundos e, segundo a mesma revista, o episódio causou controvérsia entre os jovens americanos, principalmente porque Star e Marco não ficaram juntos no final.

Nas redes sociais a polêmica gerada por grupos anti-LGBTs é com o envolvimento das crianças que assistem. Por outro lado, especialistas da área de edução e psicologia deixam claro que é só um beijo. E que ninguém é influenciado por isso. Se assim fosse, não existiriam gays, visto que todos eles cresceram vendo beijos heterossexuais nas novelas, filmes e TVs e nem por isso ˜se tornam heterossexuais˜.

Assista ao trecho aqui:

Idealizado por Isadora Fraga, 23 anos, e Vicky Fechine, 25 anos, o objetivo do canal no Youtube é falar sobre o “mundo das lésbicas”.

Com o nome de “Vlog Censuradas”, Fraga e Fechine contam que falar sobre o “mundo das lésbicas” é desmistificar a imagem criada pela sociedade sobre a comunidade LGBT, mostrando seu estilo de vida que, se formos observar, não é tão diferente da maioria.

Com atualizações frequentes, o canal tem fanpage no Facebook e conta no Instagram. Só o perfil no Youtube já conta com mais de 3 mil pessoas inscritas totalizando mais de 170 mil visualizações.

Entre os vídeos mais acessados, estão:

5 apps de paquera lésbica

10 séries para Lésbicas

5 filmes de Comédia Lésbica

Para conhecer outros vídeos, acesse o canal:
https://www.youtube.com/CensuradasVlog

E se tiver mais canais interessantes, de gays, lésbicas, bissexuais ou pessoas trans, indique pra gente! 🙂

Já estava tudo programado: nesta quinta, 05/01, a cantora Kim Burrell interpretaria uma canção ao lado de Pharrel Williamns no programa de Ellen DeGeneres. Entretanto, a participação de Burrell foi cancelada após ela deixar claro que não pediria desculpas sobre um vídeo onde ela aparece discursando contra homossexuais dentro de uma igreja.

No vídeo, Burrell se refere aos homossexuais como “pervertidos” e diz que “Deus os ama, mas odeia o pecado deles”. O discurso homofóbico foi feito na Igreja de Amor e Liberdade de Houston, nos Estados Unidos.

Ellen DeGeneres, uma das lésbicas mais respeitadas da televisão americana, postou em seu twitter:

Traduzindo:

“Para quem perguntou, Kim Burrell não aparecerá em meu show”.

E assim começamos bem o ano. Homofobia? Não!

Tchau querida Burrell!

O psicólogo Pedro Sammarco e o advogado Bryan W. Suárez criaram um grupo no Facebook onde discutem e ajudam, na medida do possível, homossexuais que possuem homofobia internalizada.

Para quem não sabe, a grosso modo, quando um homossexual nasce, ele (ou ela) – durante toda a sua vida – acaba escutando da sociedade que a homossexualidade é algo ruim (em vários sentidos). Mesmo que ele se assuma e seja “resolvido”, saindo inclusive do armário, é comum que ele ainda tenha resíduos desta homofobia em seu inconsciente: condenando, inclusive, beijo gay em público ou coisas que não deveriam incomodar.

Então, se você conhece alguém que “tem homofobia contra si”, indique o grupo para esta pessoa.

O endereço é:

https://www.facebook.com/groups/autopreconceito/

E ajude a divulgar este conceito “homofobia internalizada”. Afinal, muitos homossexuais, inclusive “assumidos” tem e precisam eliminar de sua vida.

Por um mundo mais saudável. Sempre!

Com casais heterossexuais, gays e personagens trans, a campanha do Governo Federal foi lançada agora, no final de Dezembro, e inclui cartazes e vídeos que falam a respeito da prevenção ao HIV.

No vídeo abaixo, por exemplo, citam não apenas o uso da camisinha, mas também sobre PreP e até mesmo comentam, rapidamente, que quem tem HIV e toma medicação, geralmente tem carga viral baixa e não transmite HIV.

Bacana, não? Assista ao vídeo completo aqui:

Entre os cartazes, alguns deles, aqui:

Daniel Moreira e Guilherme Viana decidiram ler livros com temática LGBT e, logo em seguida, resenhar em áudio um pouco do conteúdo e publicar no site que criaram chamado Semtions.

E, engana-se quem acha que as resenhas são simples ou superficiais. Nada disso. Gui e Ton, como um chama o outro carinhosamente durante as apresentações, leem os livros juntos e no decorrer da gravação do áudio, eles comentam o que mais gostaram, o que o livro aborda, a construção de alguns personagens e a melhor parte: contam sem contar, ou seja, não dão spoilers.

O projeto, que tem pouco tempo de vida, já resenhou quatro livros com temática LGBT e o áudio, sobre os livros lidos até o momento, podem ser escutados tanto pelo site quanto pelos seus perfis no Soundcloud e Youtube.

Ficaram curiosxs? Escute agora mesmo os quatro livros resenhados até o momento (em ordem cronológica):

Semitons #04 – Theus – Fabrício Viana

Semitons #03 – Condicional – Paulo Sérgio Moraes

Semitons #02 – Scarlet – Reynaldo Araújo

Semitons #01 – 30 dias – Moa Sipriano

Participe, comente e compartilhe o projeto Semitons:

www.semitons.com.br

Todos os livros podem ser adquiridos na Amazon em ebook ou em sites específicos, basta fazer uma busca no Google.

Talles De Oliveira Faria não é drag e nem trans. Porém, no sábado passado, 17, durante a formatura do ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica) em São José dos Campos, ele foi à sua formatura de vestido e salto alto, em protesto contra o bullying homofóbico que sofreu durante todo o curso de sua carreira militar.

Por outro lado, o ITA nega formalmente a homofobia que o jovem sofreu.

Talles, sendo um dos assuntos mais comentados nesta semana, gravou um vídeo explicando toda a homofobia que ele sofreu durante o curso e publicou em seu perfil do Facebook.

Assista aqui:.

E que mais pessoas tenham esta atitude diante da homofobia.

A quantidade de notícias e informações sobre a comunidade LGBT no Brasil e no mundo é absurdamente grande. Entre casos de homofobia, mortes e assassinados, coisas “fofas” também acontecem. E nós, devido a pequena equipe editorial, tentamos trazer sempre as mais “relevantes”, como foi o caso do jovem que na semana passada pediu seu namorado em casamento bem no meio de um jogo de basquete realizado entre Chicago Bulls e San Antonio.

Tudo começou com os cheerleaders performando “Do You Love Me (Now That I Can Dace)” da banda Colours. Foi neste momento que ele aparece entre as meninas e faz o pedido. O namorado não acredita. E o mais interessante, no lugar do anel, é um pirulito.

Isso prova que, para o amor, nada é impossível. Assista ao vídeo que, até o momento, é um dos mais curtidos e compartilhados na Internet:

Existem muitos trabalhos de qualidade voltados para a cultura e militância LGBT sendo produzidos em São Paulo. Um deles é o Drag Contest, evento que reúne grandes personalidades LGBTs em um gostoso concurso de Drag Queens.

Realizado há 9 anos pelo CCJ Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso (Vila Nova Cachoeirinha), o evento conta com o apoio da Secretaria de Cultura e Prefeitura de São Paulo e esta sendo organizado nos últimos anos pelo diretor artístico Claudinei Hidalgo, com produção de Diego Oliveira e Adalberto Ladislau, apresentação da Drag Tchaka e sua assistente de palco, a Drag Queen Sabrina Aprendiz de Feiticeira.

Entre os jurados deste ano, estiveram Jal Vieira, do projeto Auqeenda, Pyetrah Hass, a Rainha da Virada 2016, a ganhadora da primeira edição do Academia de Drags Gisele Papovick, a travesti Luana, uma das representantes do Grupo Valéria e a travesti Luiza Marilac, com seus “bons drinks”.

Em conversa com nossa redação, Claudinei Hidalgo disse que o principal foco do projeto são os workshops e palestras passados aos candidatos: temas importantíssimos ligados a saúde, legislação e arte.

Após um saudável empate, neste ano, a ganhadora foi Morgana Striker. Confira o vídeo dos melhores momentos em 2016:

Para participar do Drag Contest 2017, Hidalgo disse que a data ainda não foi marcada, mas que todxs xs interessadxs podem curtir a página do CCJ por meio deste link:

https://www.facebook.com/Centro-Cultural-da-Juventude-Ruth-Cardoso-149676065087416

Assim que abrirem vagas, a nota será divulgada na página deles.

A 16ª edição do Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade foi realizada na Academia Paulista de Letras dia 27 de Maio de 2016 e contou com várias personalidades, ONGs e empresas que promovem a cidadania em respeito à diversidade. Segue a lista dos homenageados e, logo em seguida, o vídeo do evento!

Categoria / Homenageado

Ação Social- Cultural: A Revolta da Lâmpada
Artes Cênicas: BR – Trans
Cinema Internacional: A Garota Dinamarquesa
Cinema Nacional: As Bodas do Diabo
Direitos Humanos: Comissão da Diversidade da OAB
Documentário: Bichas
Educação: ⁠⁠⁠Luíza Coppieters
Educação: Roberto Muniz Dias
Especial: Lady Gaga – Ativismo pró LGBT
Esporte: Adidas
Esporte: Técnica de Futebol Gretchen Silva
Imprensa: Carteira assinada para Transexuais
Internacional: França – Doação de Sangue
Internet: Facebook – Campanha Casamento Igualitário
Jovens: Matheus Emílio
Literatura: A Princesa e a Costureira
Memória: Márcia Gianete
Memória: Phedra de Cordoba
Memória: Vitor Angelo
Memória: Welclegno Araújo
Militância: André Pomba
Militância: Fábio de Jesus – Arco-Íris
Militância: Luiz Uchoa
Música: Luana Hansen
Publicidade: L’Oréal Paris
Saúde: Ministério da Saúde – Campanhas LGBT
Trabalho: Site TRANSEmpregos
TV: Amor e Sexo – Fernanda Lima