Censurada em Porto Alegre, QueerMuseu estreia no Rio de Janeiro dia 18/08

Em Setembro de 2017, depois de quase um mês em cartaz em Porto Alegre no espaço Santander Cultural, a exposição foi cancelada por conta de protestos. Para quem não acompanhou o caso, com obras de Candido Portinari, Alberto Guignard, Lygia Clark e Adriana Varejão (entre outros), a exposição foi alvo de expressões de ódio e preconceito. Tanto que ela deveria ser exposta em Belo Horizonte logo em seguida e, devido a mesma pressão de gente conservadora e que não entende nada de arte, também foi barrada na cidade.

O jeito foi criar uma vaquinha virtual onde, com a ajuda de várias pessoas, a exposição QueerMuseu pode voltar a ser viabilizada. Mas, desta vez, sem preconceito, ignorância e com respeito a arte e sua liberdade.

E mais, até o momento, foi um dos projetos que mais recebeu incentivos de pessoas de forma coletiva no Brasil. Foram 1.678 colaboradores arrecadando nada mais, nada menos, que mais de 1 milhão de reais. A meta inicial era de apenas R$ 690.000,00.

Para não correr riscos de novos protestos, mesmo com o financiamento coletivo, desta vez será incluído uma mensagem na porta: “Esta exposição contém imagens que podem estar em desacordo com determinadas crenças, sensibilidades ou visões de mundo. Recomendamos aos pais ou responsáveis que tenham isso em mente, antes de decidir sobre o ingresso de seus filhos e/ou aqueles que estejam sob sua guarda.

Sendo assim, a EAV Parque Lage, onde estará a exposição, deixou bem claro que não irá impedir crianças de qualquer idade ao local.

Lembrando que a entrada será gratuita.

Serviço:

Queermuseu: Cartografias da Diferença na Arte Brasileira
Abertura em 18 de agosto de 2018 (sábado), às 11h – vai até o dia 16 de setembro
Local: Escola de Artes Visuais do Parque Lage
End: Rua Jardim Botânico, 414
http://eavparquelage.rj.gov.br/
Entrada Franca
Horários de visitação:
Seg a sex, das 12h às 20h
Sáb, dom e feriados, das 10h às 17h

Programação do dia 18
11h: Baque Mulher nos jardins em frente ao palacete
11h45 às 12h45: abertura oficial da exposição
13h: Dj Tatah Toscano
16h: Sarau Cuíer
18h: Laura Finocchiaro
19h: Jeza da Pedra
20h: Mariwô b2b Galo Preto (Rebola)

 


>> Aproveitando sua visita:

– Ajude a ONG APOGLBT SP, Associe-se!
– Curta as redes sociais da Parada LGBT de SP: Facebook / Twitter / Instagram
– Participe também do evento oficial da Parada no Facebook: Parada do Orgulho LGBT de SP 2018

Publicado por: Fabrício Viana
Fabrício Viana é jornalista (MTB 80753/SP), gay, escritor premiado e responsável pela assessoria e comunicação da APOGLBT SP, ONG que realiza a maior Parada LGBT do mundo. Mais sobre Viana, aqui