Colégio Adventista de Correios, em Belém, tem perguntas sobre “homossexualismo” em prova de Língua Portuguesa

Nesta terça-feira, 19/11, começou a bombar nas redes sociais a denúncia feita pelo maquiador Herisson Lopes, irmão de uma das alunas do 9º ano do Colégio Adventista de Correios, em Belém.

Segundo ele (por meio dos stories feitos em seu Instagram), os professores da disciplina de Língua Portuguesa (e não de Religião, como muitos imaginavam), pediram a leitura do livro “De bem com você”, de Sueli Nunes Ferreira e Marcos de Benedicto, para responder a prova. Segundo ele, o livro custa R$ 20,26 a versão digital e R$ 29,90 a verão impressa.

Na obra, os autores abordam “cura gay” e explicam quais seriam as “causas do homossexualismo”. Sim, utilizam de forma incorreta a palavra “homossexualismo”, em desuso pois o sufixo “ismo” traz o estigma de doença (o termo correto é “homossexualidade”).

Entre as 50 questões dissertativas da prova, que Herisson tem em mãos, estão:

  • “A pessoa nasce ou se torna homossexual?”;
  • “a Bíblia condena a relação homossexual?”;
  • “homossexualismo tem perdão?”;

Nos estories de seu Instagram, Herisson lamenta o teor da prova e deixa claro sua preocupação com o conteúdo preconceituoso na formação dos alunos. “Fico cada vez mais chocado como as escolas estão preocupadas em passar esse conhecimento para essa nova geração. Fico muito feliz pela reação de alguns, como a de minha irmã, mas triste que ainda sim terão colegas seus que acreditarão no que é passado através de seu professor”, disse.

Em nota, a assessoria de imprensa do Colégio Adventista de Correios disse que acima de tudo, respeita todos os indivíduos sem qualquer tipo de discriminação sexual, racial, religiosa, ou de outra natureza, que a a ideia é a de formar um cidadão que respeita opiniões diversas, bem como seja capaz de pensar por si próprio sobre as temáticas apresentadas.

Entretanto, a revolta nas redes sociais é cada vez maior:

Vale lembrar que a homossexualidade não é doença. É apenas uma expressão natural da sexualidade humana. E que doença, atualmente, são os indivíduos considerados egodistônicos, isto é, que tem desejos homossexuais mas não aceitam os mesmos de forma saudável.

Na dúvida, procure um terapeuta ou leia livros atualizados sobre o tema.


>> Aproveitando sua visita:

– Ajude a ONG APOGLBT SP, Associe-se!
– Nosso evento no Facebook para 2020 foi criado: ParadaSP 2020
– Curta as redes sociais da Parada LGBT de SP: Facebook / Twitter / Instagram

Publicado por: Fabrício Viana
Fabrício Viana é o jornalista (MTB 80753/SP) responsável pela assessoria e comunicação da APOGLBT SP, ONG que realiza a maior Parada LGBT do mundo. Para a página de Imprensa, aqui. Contato com a ONG, aqui