Comissão diz que Estado brasileiro deve proteger a vida de Jean Wyllys

Segundo informações da colunista Mônica Bergamo do jornal Folha de São Paulo, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) enviou um comunicado ao deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) afirmando que concedeu a ele medidas cautelares exigindo que o Estado brasileiro proteja sua vida.

Jean, que também é ativista da causa LGBT, disse recentemente ao jornal O Globo que vive em uma espécie de “cárcere privado”, sob proteção policial permanente, graças às ameaças que recebe constantemente dos apoiadores do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). E que, graças as diversas campanhas fake news montada “pelos inimigos da democracia” ele foi transformado num “pária para os eleitores desse maldito.”

Entre as campanhas de fake news criadas, uma delas usa – e abusa – do vídeo em que Jean chegou a cuspir em Bolsonaro no dia da votação do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

O pedido de proteção foi feito pelo deputado em outubro após receber ameaças de morte. Segundo a CIDH, Jean se encontra em situação de gravidade e urgência. Entre os exemplos, a comissão informa que a Câmara dos Deputados cedeu carro blindado ao parlamentar, mas a medida só continuaria se o próprio Jean pagasse por ele. Neste caso, ainda segundo a CIDH, seus direitos à vida e a integridade pessoal estão em grave risco.

Wyllys afirma que os seguidores de Bolsonaro invadem suas redes sociais com “xingamentos e ameaças”, o que obriga a andar com escolta policiar e carro blindado. A situação é muito grave.

 


>> Aproveitando sua visita:

– Ajude a ONG APOGLBT SP, Associe-se!
– Curta as redes sociais da Parada LGBT de SP: Facebook / Twitter / Instagram
– Participe também do evento oficial da Parada no Facebook: Parada do Orgulho LGBT de SP 2018

Publicado por: Fabrício Viana
Fabrício Viana é jornalista (MTB 80753/SP), gay, escritor premiado e responsável pela assessoria e comunicação da APOGLBT SP, ONG que realiza a maior Parada LGBT do mundo. Mais sobre Viana, aqui