Conheça Ana Beatriz Ruppelt dos Santos (PDT), Candidata LGBTI+ Deputada Federal

ELEIÇÕES 2018

Conheça as candidaturas LGBT por São Paulo nas eleições 2018

A Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, a ONG responsável pela maior Parada do Orgulho LGBT do mundo, dando continuidade ao tema da Parada LGBT 2018 “PODER PARA LGBTI+, NOSSO VOTO, NOSSA VOZ” traz para você eleitor e eleitora um Raio -X de quem são as pessoas LGBT candidatas a deputadas estaduais e federais pelo estado de São Paulo. O objetivo desta página Eleições 2018 é orientar a comunidade LGBTi+ da importância da escolha dos seus candidatos e candidatas para elegermos o maior número possível de representantes da nossa comunidade nesta eleição.

Se você é candidato ou candidata LGBTI+ e quiser ser divulgado nesta seção, entre em contato pelo e-mail paradasp@paradasp.org.br


Conheça Ana Beatriz Ruppelt dos Santos (PDT), Candidata LGBTI+ Deputada Federal

Nome que consta no registro eleitoral
Ana Beatriz Ruppelt dos Santos

Partido Político que está Filiado
PDT – Candidata Deputada Federal

Profissão:
Consultora Jurídica

Qual é o seu envolvimento com o movimento social LGBT?
Militante Digital e Coordenadora Estadual da Aliança Nacional LGBTI+

O que já fez de concreto que tenha resultado em impacto positivo para a comunidade LGBT?
Empoderamento das pessoas, nas diversas palestras que realizo para Gestores de OSS, par Humanização, Acolhimento e Velhice LGBT

Como você vai fazer para conseguir apoio de modo a ter maioria no parlamento e, desta forma, aprovar projetos pró LGBTI+?
Terei uma posição de firmeza e justa, sem coluiou conservadores, e atentatórios, existem mecanismos de persuasão para que os meus projetos sejam colocados em pauta, um deles, será a insistência da presença de pares nos dias de propostas e destas também nos projetos dos pares contrários aos nossos.

Como pretende enfrentar as resistências que pode vir a ter na Casa Legislativa de bancadas conservadoras como a da Boi, Bala e da Bíblia?
Com minha formação na área do Direto e de alguns cursos que participei, tenho condições de argumentações suficientes para realizar um dialogo competente e persuasivo

Se eleita ou eleito, pretende ter quantos funcionários no gabinete? Como será as escolhas delas/deles? Qual vai ser o critério de escolha dessas pessoas?
Pretendo ter todos os possíveis, a maioria pessoas T, sejam em São Paulo e em Brasília, pois o Partido vai querer uma cota, e não temos LGBT em quantidade, e por isso terei Héteros na composição. E na qualificação terá que ser Representativa com qualidade, pois teremos uma batalha enorme de discussões e empoderamento, pois como Parlamentar, serei muito atuante nos meios empresariais para mudar a mentalidade sobre a empregabilidade Trans.

Como pretende usar os recursos do mandato?
Ainda não detalhadas.

Qual vai ser sua primeira medida se eleita/eleito?
Adaptar a Legislação de Crimes de Racismo, reformando-a, introduzindo como Crimes os de Homofobia, Transfobia, Bullyng, entre outros, assim como aumentar as penas, acima de 5 anos. E os dos Crimes contra a Fauna, assim como os de maus tratos aos Pets, unificando todas as legislações aumentando as penas e multas, para dissuadir .

Quais políticas LGBT pretende encampar? Como?
Empregabilidade de modo a absorver a população e o fortalecimento dos cursos profissionalizantes sem ser os comumente como os de Manicure e Cabeleireira , manter um posicionamento firme com relação a implantação em todo território nacional de ambulatórios T, nas Cidades com mais de 300 mil habitantes, inclusive forçando todos os Cursos de Medicina Oficiais ( estaduais e federais, e municipais se houver ) para que ofereçam este atendimento. Fazer com que todas as ONG LGBTI+ prestem contas e atividades sobre os recursos públicos, fazendo com que sejam melhor aplicados, com enfase em politicas publicas efetivas.

Com quais setores da sociedade e seus representantes pretende se aliar para conseguir maioria para aprovar leis que garantam os nossos direitos?
Com toda Sociedade Civil, que esteja consternada com toda a população consideradas excluídas de Politicas Publicas de Estado.

Qual sua posição em relação à reforma da previdência? Justifique.
Totalmente Contra. Desde os Governos Militares ate hoje, a Previdência foi saqueada e deverão repor o saque, alem de firmeza na cobrança dos devedores contumaz, com métodos mais eficazes.

Qual seu posicionamento em relação à reforma trabalhista? Justifique.
Sou também Contra, pois prejudicou a classe trabalhadora, criando possibilidade dos Contratantes biricarem de empregadores menosprezando os trabalhadores com os trabalhos intermitentes, e dos funcionários contratando-os como MEI, como prestadores, se livrando de toda carga tributaria, precisa-se sim, fazer uma Reforma Tributaria Urgente, para uma melhor distribuição de renda aos Estados e Municípios.

Qual a sua posição em relação a legalização de algumas drogas e do aborto? Justifique.
Com relação ao Aborto, é uma opção da Mulher em querer realizar, é o Direito ao próprio corpo sempre negado. Com relação às Drogas, imagino que a maconha possa ser descriminalizada, pois segundo variados estudos não a identificam como todo os males , pois o tabagismo é um mal maior assim como o álcool, que ocasionam despesas enormes no SUS, e dentro das famílias.

O acesso a armas de fogo deve ser controlado com maior rigor pelo Estado? Justifique.
O Cidadão deve ter o Direito de ter, e, é Dever do Estado realizar o Controle e os Excessos, mas, as não permitidas, devem ter uma restrição com maior controle e penalizadas com maior rigor.

O aborto deve ser tratado como crime? Justifique.
Não. Não devem ser penalizadas, pois vejo ser um Direito da Mulher ao próprio corpo a não continuidade da gestação, por razoes próprias.

A maioridade penal deve ser reduzida para 16 anos? Justifique.
A maioridade penal, ao meu ver , deveria ser de 14 anos, pois nesta idade, o discernimento é elevado, pois já sabem o que é certo e errado, sabem muito sobre sexo, armas, finanças, entre outros temas. A aplicação de penalidades é que devem serem bem estudadas. Como existem variados tipos penais, penalizar conforme a gravidade cometida, tentando até a idade de 17 anos fazer com que possa voltar a Sociedade de maneira diversa.Realizando um aprofundado levantamento social e com mudanças de visões distorcidas em seu entendimento.

O consumo de maconha deve ser tratado como crime? Justifique.
Não. Hoje neste ponto já é descriminalizada, o que hoje é penalizado é a posse, transporte, entre outros tempos verbais.

Os professores devem ter total liberdade para expressarem suas ideias e opiniões em sala de aula (sem nenhuma limitação colocada pelo Estado ou pelas famílias)? Justifique.
Os Professores, como profissionais educadores, tem uma missão muito importante na evolução do conteúdo futuro dos alunos, muitos como inúmeras divergências cognitivas, e devem ter uma precaução de trazerem informações que possar serem entendidas de modo distorcido pelos alunos e pais. Penso, que trazer, os pais às escolas poderiam mudar esta limitação.

Você é a favor da pena de morte? Justifique.
A nossa Constituição Federal permite, apenas em casos de Guerra, e Crimes Militares, mas, visualizando determinados tipos de crimes contra a vida, praticados contra crianças, mulheres, idosos, população T, de forma sistemática e sendo considerado inimputável , com desvios de personalidade arraigados, sou a favor.

Site/link com mais informações:
https://www.facebook.com/AnaBeatrizPDT/

Conheça outros candidatos/as aqui: http://paradasp.org.br/category/eleicoes-2018/

Se você é candidato ou candidata LGBTI+ e quiser ser divulgado nesta seção, entre em contato pelo e-mail paradasp@paradasp.org.br

 


>> Aproveitando sua visita:

– Ajude a ONG APOGLBT SP, Associe-se!
– Curta as redes sociais da Parada LGBT de SP: Facebook / Twitter / Instagram
– Participe também do evento oficial da Parada no Facebook: Parada do Orgulho LGBT de SP 2018

Publicado por: Fabrício Viana
Fabrício Viana é jornalista (MTB 80753/SP), gay, escritor premiado e responsável pela assessoria e comunicação da APOGLBT SP, ONG que realiza a maior Parada LGBT do mundo. Mais sobre Viana, aqui