Em novela postada no Instagram, autor traz universos LGBTQI+ e negro para a trama.

Escrito por Amarildo Felix, novela é postada diariamente no Instagram do autor e traz universo LGBTQI+ e negro para a trama

O escritor e dramaturgo Amarildo Felix sempre teve uma queda pelos romances de bancas, estilo Sabrina. Quando a quarentena chegou, ele tirou do armário uma vontade antiga e começou a exercitar sua escrita – mais acostumada com a prosa poética e um estilo verborrágico – e surgiu a ideia de escrever um folhetim. Inspirado no gênero, que surgiu na França, no início do século XIX e que fazia enorme sucesso no Brasil também (com representantes como Machado de Assis), Amarildo criou O PERFUME DA PAIXÃO, e tem publicado capítulos diários, às 21 horas, no seu Instagram (@amarildofelix).

Assim como a maioria dos folhetins, Amarildo narra um romance com tons de erotismo, usando também suspense e os ganchos que precisam ser feitos de um capítulo para o outro. Os personagens são Alisson e Raul. Os dois são negros e Raul, dono de uma agência, está prestes a se tornar o primeiro bilionário do País. Alisson é um rapaz que começa a trabalhar na agência e é completamente atraído pelo chefe “Mais do que trazer a história em um formato diferente, nessa versão online, quis também trazer o gênero para o universo homoafetivo e falar de um casal afrocentrado. Sei que existem pessoas tratando a questão racial de maneira profunda. Mas acredito que nós, pretos, também precisamos habitar outros locais na esfera artística para além dos problemas que enfrentamos cotidianamente. Precisamos ocupar, por exemplo, esse imaginário de poder. É importante nos imaginar em outras posições que a literatura, o cinema, a TV e outras linguagens destinam somente ao branco”, explica o autor.

Autor de O Desmonte (que teve uma versão teatral) e Sotaque/ Sintoma, Amarildo conta que O PERFUME DA PAIXÃO tem sido um desafio e um ótimo exercício para a sua escrita. “Eu sempre fui de escrever de maneira solta e sem limites, mas agora tenho que fazer  o que quero dizer caber em no máximo dois cards de Instagram. Se antes poderia demorar páginas e mais páginas falando sobre um homem procurando um rato dentro de um apartamento, como fiz em O Desmonte. Agora, preciso ser mais preciso e objetivo e, ainda assim, fazer com que o leitor esteja preso à história, com vontade de ler o próximo capítulo. Além disso, tenho um prazo rígido para manter o algoritmo do Instagram e, consequentemente, meu público acompanhando a minha novela: todo dia, 21 horas, um novo capítulo tem que ser entregue. Isso me obriga a escrever sempre”, explica.

Amarildo disse que já sabe onde deve chegar com a história e tem algumas tramas traçadas, mas está escrevendo quase que ao vivo e que pode levar a reação do público e sugestões em conta. “A ideia é que O PERFUME DA PAIXÃO tenha 60 capítulos, mas já estou recebendo pedidos para ampliar”, comenta Amarildo. Em menos de uma semana publicando seus capítulos diários, Amarildo viu seu número de seguidores aumentaram em mais de 1 mil pessoas.

A princípio, a história ganha só o Instagram, mas o autor não desconsidera a hipótese de levar para o impresso. “Eu precisava continuar produzindo nesse período de quarentena e fazer algo que dependesse só de mim era a única maneira que eu tinha para o projeto andar. Mas penso na possibilidade de transformar  O PERFUME DA PAIXÃO em um livro impresso, de repente, numa versão estendida ou com outras histórias. Agora que tirei minha paixão pelo folhetim do armário, não quero mais guardar”, diz.

Sobre Amarildo

Amarildo Felix é poeta, ator, dramaturgo e psicólogo. É autor dos livros de poema “Sotaque/Sintoma” (Patuá, 2017) e “O Desmonte” (Patuá, 2019).  Formado em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP) e atuação na Escola de Arte Dramática (EAD – USP). Ganhou destaque após a encenação do seu primeiro texto dramatúrgico “Solilóquios”, encenado dentro do Núcleo de Dramaturgia Sesi/British Council em 2015; o texto foi eleito pela crítica especializada como um destaque da temporada daquele ano. Desde então seus textos vem sendo encenados no Brasil e no mundo. Pelo texto “Amor Fast-food” (2018) foi reconhecido como uma potente voz da dramaturgia brasileira contemporânea pelo evento Janela de Dramaturgia, realizado anualmente na cidade de Belo Horizonte. Vencedor do prêmio Aplauso Brasil na categoria Dramaturgia pelo “O Desmonte”. Sua peça “Estufa” foi encenada na Universidade de Yale, no Estados Unidos. Amarildo Felix segue escrevendo e atuando. Atualmente ensaia o seu primeiro solo com previsão de estreia para final de 2020.

Serviço

O PERFUME DA PAIXÃO – Folhetim homoerótico de Amarildo Félix. Capítulos diários, sempre às 21 horas, no https://www.instagram.com/amarildofelix/


>> Aproveitando sua visita:

– Ajude a ONG APOGLBT SP, Associe-se!
– Nosso evento no Facebook para 2020 foi criado: ParadaSP 2020
– Curta as redes sociais da Parada LGBT de SP: Facebook / Twitter / Instagram

Publicado por: Fabrício Viana
Fabrício Viana é o jornalista (MTB 80753/SP) responsável pela assessoria de imprensa e comunicação da APOGLBT SP, ONG que realiza a maior Parada LGBT do mundo. Para a página de Imprensa, aqui. Contato com a Diretoria da ONG, aqui. Seja um Associado/a, aqui