Evolução ou retrocesso: direitos LGBT+ é tema central de fórum em junho

Release para imprensa, aqui

Editado: Perdeu o evento online? Assista agora em três idiomas:
PT: https://youtube.com/playlist?list=PLA5znzbeP2kkTVxLP0G1LAiJaPrgYLrBT
ENG: https://youtube.com/playlist?list=PLA5znzbeP2kkFh_q30Q-l8_SAtwCkW0wv
ESP: https://youtube.com/playlist?list=PLA5znzbeP2kmkzLjlvy4gi4AKMFKvL9FW

Evento organizado pelo Governo do Canadá, em parceria com a ONG APOLGBT-SP, trará especialistas de Argentina, Brasil, Canadá e Chile para discutir tema

Nos dias 16 e 17 de junho de 2021, o Governo do Canadá irá realizar, por meio de suas representações diplomáticas no Brasil, Argentina e Chile, o Fórum Virtual de Direitos LGBTQ2+. O evento tem a curadoria da Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (APOLGBT-SP), responsável pela realização da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo.

Ativistas, políticos e estudiosos dos quatro países irão discutir a evolução dos direitos LGBT+, o aumento da presença de pessoas LGBT+ no cenário político, além de falar sobre a invisibilização de pessoas LGBT+ negras, deficientes e indígenas. Também será debatida a força de trabalho e contribuição do público LGBT+ na economia local.

Dentre os palestrantes estão J’net Ayayqwayaksheelth, pessoa indígena e dois espíritos, responsável pelo Royal Ontario Museum em Toronto, no Canadá; Kihmali Powell, diretor executivo da ONG Rainbow Railroad que acolhe refugiados LGBT+ no Canadá; Daniela Castro, primeira pessoa trans a ocupar um cargo público na Argentina como diretora da área de Política para Diversidade Sexual do Ministério da Mulher e Diversidade da Província de Buenos Aires; Glen Murray, ex-prefeito assumidamente gay da cidade de Winnipeg, no Canadá; Karen Atala, renomada ativista chilena e referência para o movimento LGBT+ no país; Paulo Iotti, militante LGBT e um dos responsáveis pela criminalização da homofobia no Brasil; deputada Erica Malunguinho, responsável pela articulação política contra o PL 504 que censurava publicidade com temática ligada à diversidade; Juão Nyn, multiartista, indigena e escritor; a vereadora Bia Caminha, eleita nas últimas eleições; Ricardo Gomes, da Câmara de Comércio e Turismo LGBT do Brasil, e Márcia Rocha, fundadora do Transempregos, entre outras pessoas.

A moderação das mesas contará ainda com a Drag Queen Dindry Buck, que é ativista LGBT+ e integrante do Esquadrão das Drags, a colunista do portal Mídia NINJA Leandrinha Du Art, a apresentadora do podcast Biscoito Babu Carreira e o jornalista e ex-editor da Revista Exame João Pedro Caleiro.

O Canadá é reconhecido mundialmente como um dos países mais ativos em relação aos direitos das pessoas LGBTQ2+ e considera o fórum uma oportunidade de ampliar a discussão com países da região que, muitas vezes, enfrentam questões similares em diferentes esferas de suas sociedades, seja no âmbito político, econômico ou social.

Para a Embaixadora do Canadá no Brasil, Jennifer May, “o fórum será um importante mecanismo para a reflexão dos avanços, ou mesmo retrocessos, dos direitos LGBTQ2+ em nossos países e nos ajudará  a avaliar as medidas necessárias para ampliarmos nossas ações e discussões referentes aos direitos das pessoas LGBTQ2+ e buscar uma sociedade mais justa e igualitária. É necessário refletir sobre o passado e olhar para o futuro com diferentes perspectivas para melhor direcionar nossas ações em busca do respeito e igualdade. Discutir isso com países parceiros será extremamente importante para entendermos os desafios que nos cercam e avançar com o diálogo pela igualdade em toda a nossa região hemisférica.”, conclui.

“Nosso país está vivendo um momento de ataques à democracia, ao respeito à diversidade, e ter esse intercâmbio de experiências neste Fórum de Direitos LGBT+ fortalece o movimento social. As pessoas precisam se unir pela causa e este Fórum é a prova que é possível diferentes países, culturas, idiomas e histórias se unirem em prol de uma sociedade para todas as pessoas.” afirma Cláudia Regina Garcia, presidente da APOLGBT-SP.

A abertura será às 10h do dia 16/06 e contará com a presença da Embaixadora do Canadá no Brasil, Jennifer May, do Embaixador do Canadá na Argentina,  David Usher, do Embaixador do Canadá no Chile, Michael Gort, da presidente da APOLGBT-SP, Cláudia Garcia, e da Secretária de Direitos Humanos da Cidade de São Paulo, Claudia Carletto.

O evento conta com o apoio institucional da Secretaria Municipal de Direitos Humanos de São Paulo e será transmitido ao vivo no canal do YouTube da ParadaSP www.youtube.com/ParadaSP,  com tradução simultânea em português, inglês e espanhol, além de tradução em libras.

Programação:

Dia 1 – 16 de junho

Abertura oficial: 10h – 10h30
Embaixadora do Canadá no Brasil, Jennifer May.
Embaixador do Canadá na Argentina, Michael Gort.
Embaixador do Canadá no Chile, David Usher.
Secretária de Direitos Humanos da Cidade de São Paulo, Claudia Carletto.
Presidente da Associação da Parada do Orgulho LGBT, Cláudia Regina.

Painel 1: Evolução dos Direitos LGBTQ2+ e estado atual

Horário: 10h30 – 12h

Participantes:

    • Esteban Paulón – Diretor executivo do Instituto de Políticas Públicas LGBT+ (Argentina).
    • Joël Dupuis – Ministério da Diversidade, Inclusão e Juventude (Canadá).
    • Karen Atala – Fundácion Iguales (Chile).
    • Paulo Iotti – Advogado, militante LGBT, um dos responsáveis pela criminalização da homofobia no Brasil.

Moderação: Dindry Buck

Painel 2: Invisíveis

Horário: 14h – 15h30

Participantes:

    • Natasha Steinberg – Subsecretaria da Cidade de Buenos Aires (Argentina).
    • J’net Ayayqwayaksheelth – Royal Ontario Museum (Canadá).
    • Kihmali Powell – Rainbow Railroad (Canadá).
    • Javiera Zuñiga – ONG Movilh (Chile).
    • Juão Nyn (Brasil).

Moderação: Leandrinha Du’Art

Dia 2 – 17 de junho

Painel 1: LGBTs na política

Horário: 10h – 11h30

Participantes:

    • Daniela Castro – Diretora da área de Política para Diversidade Sexual do Ministério da Mulher e Diversidade da Província de Buenos Aires (Argentina).
    • Glen Murray – Ex-prefeito de Winnipeg (Canadá).
    • Lorena Olavarría Baeza – Prefeita recém-eleita de Melipilla (Chile).
    • Vereadora Bia Caminha (Brasil).
    • Deputada Erica Malunguinhos (Brasil).

Moderação: Babu Carreira

Painel 2: Pink Money

Horário: 14h – 15h30

Participantes:

    • Martina Ansardi – ONG Contratá Trans (Argentina)
    • Márcia Rocha – TransEmpregos (Brasil)
    • Ricardo Gomes – Câmara de Comércio LGBT+ (Brasil)
    • Darrell Schuurman – Câmara de Comércio LGBT+ (Canadá)

Moderação: João Pedro Caleiro

 

*LGBTQ2+: No Canadá, usa-se a sigla LGBTQ2+, que se refere às lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, queer e dois espíritos. Two-spirited ou Dois Espíritos é uma denominação indígena de gênero. Além do LGBT que já conhecemos aqui, o Q é usado para queer – termo inglês para estranho, excêntrico, que foge aos padrões – e o 2S para two-spirited, que deriva da tradição indígena da América do Norte, onde em vários povos indígenas, há registros de tradições e termos usados para pessoas transgênero, variação de gênero ou identidade de gênero. Com a colonização religiosa europeia, muitas dessas crenças deixaram de existir, mas no começo da década de 1990, grupos indígenas LGBT+ começaram a recuperar seus costumes e tradições. Eles propuseram o termo two-spirited para se referir ao “terceiro gênero”, baseado nas crenças de que o corpo pode abrigar os dois espíritos (masculino e feminino).

Release para imprensa, aqui


>> Aproveitando sua visita:

– Ajude a ONG APOGLBT SP Associe-se!

Publicado por: Fabrício Viana
Fabrício Viana é o jornalista (MTB 80753/SP), escritor LGBT premiado e responsável pela assessoria de imprensa e comunicação da APOLLBT SP, ONG que realiza a maior Parada LGBT do mundo. Para a página de Imprensa, aqui. Contato com a Diretoria da ONG, aqui. Seja um Associado/a, aqui