Histórias da saída do armário: Projeto fotográfico imprime a experiência de 13 pessoas ao se assumir LGBT

Se descobrir e assumir-se é a parte mais difícil e importante durante a vida de uma pessoa LGBT. A maneira como acontece esse processo é único, de um jeito para cada pessoa, e fica marcado para sempre.

Por isso, o fotógrafo Alejandro Ibarra resolveu criar uma série de fotografias, intitulada “Coming Out Stories”, para registrar este momento.

No projeto, Ibarra fotografou as pessoas e, no final pediu para que elas escrevessem (na foto) algo que foi importante sobre a “saída do armário” de cada um.

Confira:

1. Leo, 25 anos. – Assumido aos 18

“Eu nunca planejei me assumir. Mas depois que meu amigo me beijou, eu sabia que eu queria sentir aquela paixão de novo.”

2. Cole, 24 anos. – Assumida aos 17

“Duas semanas depois que eu me assumi para o meu pai, ele me viu com a minha primeira namorada.”

3. Jose Jorge, 27 anos. – Assumido aos 17

“Minha mãe me perguntou brincando se eu gostava de garotas. Eu disse “Não”.”

4. Alex, 30 anos. – Assumido aos 21

“O meu irmão me revelou pra minha família depois de mexer no meu celular e ler as minhas mensagens com meu melhor amigo.”

5. Diego, 25 anos. – Assumido – Assumido aos 16

“Eu coloquei umas músicas da Lady Gaga de fundo pra me dar coragem.”

6. Diana, 31 anos. 0 Assumida aos 22

“A primeira pessoa pra quem eu contei foi minha melhor amiga, e ela foi embora.”

7. Geraldo, 26 anos. – Assumido aos 22

“Em uma manhã, minha mãe me escutou tocando “Reflection” de Mulan no piano. Assim que eu terminei, ela começou a chorar e disse, “Você sabe que eu amo você, você gostando de meninos ou meninas, tá?”

8. Moises Omar, 28 anos. – Assumido aos 17

“Eu nunca me assumi oficialmente. Eu sempre fui eu mesmo.”

9. Aaron, 32 anos. – Assumido aos 31

“A primeira preocupações dos meus pais foi: E nossos netinhos ruivos?”

10. Jaimie, 40 anos – Assumido aos 20

“Na última noite que eu morei na minha casa, minha mãe me deu um presente de despedida: Um guia de viagem gay.”

11. Michael, 31 anos. – Assumido aos 15.


“Minha avó me ofereceu todo dinheiro que ela tinha para que eu conseguisse “ajuda”. Eu disse pra ela ficar com o dinheiro, eu não estou quebrado, e não preciso de conserto.”

12. Assaad, 26 anos. – Assumido aos 20

“Eu nunca precisei contar pra ninguém. Eles que me contaram.”

13. Bart, 45 anos. – Assumido aos 21

“Eu me senti rejeitado pelos meus próprios pais, mas lembro que minha tia Natalie me fazia sentir seguro.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × um =

Pin It on Pinterest