HIV e COVID-19: Recomendações da UNAIDS

Para as pessoas que vivem ou convivem com HIV e estão preocupadas com o COVID-19 (Coronavirus), a UNAIDS, programa das Nações Unidas, publicou em português informações nesta semana em sua página.

Atualmente, não há evidências claras de que as pessoas que vivem com HIV corram um risco maior de adquirir a COVID-19 ou de ficarem mais doentes que as outras. No entanto, muitas pessoas vivendo com HIV estão envelhecendo ou têm outras condições de saúde, incluindo doenças cardíacas ou pulmonares. Neste caso, assim como as demais pessoas destes que são considerados grupos de risco para a atual epidemia, elas são mais vulneráveis e sucetíveis à doença mais grave de COVID-19.

Em outras palavras, embora a preocupação legitima destas pessoas, não á uma relação até o momento entre o vírus HIV e o vírus COVID-19. Apenas de você estiver dentro do grupo de risco: envelhecendo ou tem outras condições de saúde (como doenças cardíacas ou pulmonares). Portanto, as recomendações da UNAIDS é que pessoas que vivem ou convivem com HIV sigam exatamente as mesmas recomendações que todas as outras pessoas:

  • Lavem regularmente e completamente as mãos com água e sabão, ou use álcool em gel caso falte a primeira opção;
  • Mantenha distância de pelo menos 1 metro de qualquer pessoa;
  • Evite tocar nos olhos, nariz e boca;
  • Cubra a boca e o nariz com o cotovelo ou lenço de papel dobrado quando tossir ou espirrar e descarte o papel usado;
  • Fique em casa se você não se sentir bem. Em caso de febre, tosse e dificuldades em respirar, procure atendimento médico;
  • Siga as instruções da sua autoridade sanitária local.

Para mais informações, você pode baixar o PDF de orientações da UNAIDS clicando aqui. Ou o site da UNAIDS.

IMPORTANTE:

Vale informar também que, caso você tenha tido alguma relação sexual de risco, deverá fazer imediatamente o teste de HIV e outras ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis). Afinal, o número de pessoas infectadas que não fazem tratamento (e, por isso, são potenciais transmissores do HIV aumenta a cada dia). Quem tem HIV, toma os antirretrovirais há pelo menos seis meses e tem carga viral indetectável, além de ter imunidade como qualquer outra pessoa, também não transmite o HIV para outras pessoas. Caso não saiba disso, ou nada sobre HIV e AIDS, sugiro assistir a este vídeo.

Lembrando que a APOGLBT/SP, ONG que realiza a maior Parada LGBT do mundo e outros eventos de militância e cultura LGBTQI+, já promoveu 3 grandes Encontros sobre Saúde/Prevenção IST/AIDS e os vídeos do último encontro estão disponíveis neste link. Assista .

Agora, é sua vez de ajudar (mesmo não tendo ou convivendo com HIV) divulgando este post e estas informações! Compartilhe na sua timeline, grupos do Facebook, grupos de Whatsapp e afins.

#PrecisamosFalarSobreIsso #Sempre


>> Aproveitando sua visita:

– Ajude a ONG APOGLBT SP, Associe-se!
– Nosso evento no Facebook para 2020 foi criado: ParadaSP 2020
– Curta as redes sociais da Parada LGBT de SP: Facebook / Twitter / Instagram

Publicado por: Fabrício Viana
Fabrício Viana é o jornalista (MTB 80753/SP) responsável pela assessoria e comunicação da APOGLBT SP, ONG que realiza a maior Parada LGBT do mundo. Para a página de Imprensa, aqui. Contato com a Diretoria da ONG, aqui. Seja um Associado/a, aqui