II Fórum de Direitos LGBTQ2+* reúne painéis, exposição e show em evento híbrido

Especialistas de Canadá, Argentina, Brasil, Chile e França vão discutir desafios comuns da população LGBT na sociedade. O evento também tem uma exposição com uma linha do tempo do movimento no Brasil e show com as artistas Greta Star e Marcinha do Corinto 

O dia 17 de maio marca o Dia Internacional Contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia – IDAHOTB, além de dar início às celebrações do Orgulho LGBT no hemisfério norte. Para celebrar a data, painéis com discussão sobre vários temas, exposição e pocket-show musical compõem o II Fórum de Direitos LGBTQ2+ que será realizado gratuitamente nos dias 17 e 18 de maio de 2022 de forma presencial e virtual pelo Youtube (https://www.youtube.com/ParadaSP). Para saber todos os detalhes da programação é necessário se inscrever pelo Sympla. 

A incitativa é do Governo do Canadá por meio de seu Consulado Geral em São Paulo e suas Embaixadas na Argentina e no Chile, juntamente com a Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (APOLGBT-SP) e o Governo da França no Brasil. O evento conta com a presença de ativistas, políticos e estudiosos dos cinco países, que discutirão o direito à segurança pelas pessoas LGBTQ2+ e o papel da polícia para contribuir com uma sociedade mais segura e inclusiva. A presença de crianças LGBTQ2+ nas escolas, a importância da diversidade na cultura e os desafios das pessoas LGBTQ2+ no mercado de trabalho também serão abordados. 

Entre os nomes de destaque estão Jasmin Roy, ator e escritor canadense e presidente da Fondation Jasmin Roy, em Montreal; Maddie Morris, primeira funcionária abertamente transgênero do Governo do Canadá em Seattle, nos Estados Unidos; Thirza Cuthand, diretora de cinema queer e indígena do Canadá; André Fischer, criador do Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade e coordenador do Centro Cultural da Diversidade da Secretaria Municipal de Cultura; Élisabeth Moreno, Ministra-delegada da França responsável pela igualdade entre mulheres e homens, diversidade e igualdade de oportunidades (DILCRAH); Daniela Ruiz, diretora executiva da ONG 7 Colores Diversidad e responsável pela formação de servidores públicos nas áreas de Justiça e Forças de Segurança do governo federal na Argentina; Rolando Jiménez, presidente da ONG Movimiento por la Liberación Homosexual (MOVILH) no Chile. 

No dia 18 de maio, o público poderá conferir ainda um painel presencial que será realizado na Aliança Francesa de São Paulo (Rua General Jardim 182 – Centro) que abordará a memória do movimento LGBT e contará com a participação do escritor brasileiro João Silvério Trevisan, o ativista francês e fundador da ActUp, Philippe Mangeot, a professora de Antropologia na Unicamp, Regina Facchini, o fundador do Irish Queer Archive, Tonie Walsh, e o canadense e presidente da InterPride, Andrew Baker. O debate também conta com transmissão on-line ao vivo. 

Além do Fórum, a exposição fotográfica Habeas Corpus, produzida pelo Arquivo Edgard Leuenroth da UNICAMP, estará em exibição no hall principal da Aliança Francesa. A mostra, que traz uma linha do tempo do movimento LGBT no Brasil com peças inéditas do acervo, ficará disponível entre os dias 18 de maio a 19 de junho. O encerramento fica por conta de um pocket-show com as artistas Greta Star e Marcinha do Corinto. 

*LGBTQ2+: No Canadá, usa-se a sigla LGBTQ2+, que se refere às lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, queer e dois espíritos. Two-spirited ou Dois Espíritos é uma denominação indígena de gênero. Além do LGBT que já conhecemos aqui, o Q é usado para queer – termo inglês para estranho, excêntrico, que foge aos padrões – e o 2S para two-spirited, que deriva da tradição indígena da América do Norte, onde em vários povos indígenas, há registros de tradições e termos usados para pessoas transgênero, variação de gênero ou identidade de gênero. Com a colonização religiosa europeia, muitas dessas crenças deixaram de existir, mas no começo da década de 1990, grupos indígenas LGBT+ começaram a recuperar seus costumes e tradições. Eles propuseram o termo two-spirited para se referir ao “terceiro gênero”, baseado nas crenças de que o corpo pode abrigar os dois espíritos (masculino e feminino). 

 

Confira a programação completa: 

17 de maio (Terça-feira) 

 

10h – Abertura 

Painel 1 – LGBTQ2+ e o direito à segurança 

10h30 – 12h30 (horário de Brasília GMT-3) – virtual 

Uma discussão sobre a violência dirigida contra as pessoas LGBTQ2+ e as redes de segurança e policiamento que reúnem pessoas LGBTQ2+ 

Alain Parmentier: Vice-presidente Flag! Europa e Presidente da European LGBT Police Association – EGPAAssociation (França) 

Daniela Ruiz: militante travesti, Diretora Executiva da 7 Colores Diversidad (ONG) – liderou a formação de servidores públicos no governo federal (Argentina) 

Danielle Bottineau: oficial da Polícia de Toronto (Canadá) 

Marcelo Gallego: advogado e Coordenador de Políticas de Diversidade Sexual do Estado de São Paulo (Brasil) 

Rolando Jiménez: ativista e presidente do Movimiento por la Liberación Homosexual – MOVILH (Chile)  

  • Mediação: Dindry Buck 

 

Painel 2 – Diversidade nas escolas 

14h-16h (horário de Brasília GMT-3) – virtual 

Uma reflexão sobre a importância de abordar o tema da diversidade nas escolas e um panorama sobre o crescimento no número de crianças se reconhecendo como LGBTQ2+ e a abordagem pedagógica necessária. 

Andrea Rivas: presidente da Familias Diversas Asociación Civil (AFDA) (Argentina) 

Fernando Seffner: professor e sociólogo especialista em estudos de diversidade de gênero na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) (Brasil) 

Jasmin Roy: ator e presidente da Fundação Jasmin Roy (Quebec/Canadá)  

Victor Rocha: Acadêmico da Universidad Diego Portales (Chile) 

  • Mediação: Leandrinha Du”Art 

 

 

18 de maio (Quarta-feira)  

 

Painel 3 – Empregabilidade LGBTQ2+ 

14h – 16h (horário de Brasília GMT-3) – virtual 

Como a Covid-19 afetou a vida de pessoas LGBTQ2+ de formas muito diferentes das vidas heteronormativas e como os LGBTQ2+ ainda estão condicionados a pertencer a determinados espaços e profissões e como as empresas podem ajudar a mudar esse cenário. 

Alejandra Freeland: ativista transgênero e gerente cultural de Toronto (Canadá-Argentina) 

Élisabeth Moreno: ministra delegada do Primeiro-Ministro responsável pela igualdade entre mulheres e homens, diversidade e igualdade de oportunidades (DILCRAH) (França) 

Maddie Morris: primeira funcionária assumidamente transgênero do Ministério de Relações Exteriores (Canadá) 

Reinaldo Bulgarelli: Secretário Executivo do Fórum de Empresas e Direitos LGBTI+, sócio-diretor da Txai Consultoria e Educação, professor na FIA, escritor e conferencista na área de sustentabilidade e responsabilidade social empresarial. (Brasil) 

  • Mediação: Fabian Algarte 

 

Painel 4 – Diversidade na cultura: o mundo da noite 

10h – 12h (horário de Brasília GMT-3) – virtual 

Discussão sobre a vida noturna dos LGBTQ2+ e os espaços noturnos como plataformas de luta social e política da comunidade LGBTQ2+ Como a Covd-19 tem impactado esses espaços de expressão, solidariedade e luta pelas comunidades LGBTQ2+? O virtual conseguiu substituir esses espaços físicos, conectando-se internacionalmente? Quais são as perspectivas pós-covid? 

Com: 

Andre Fischer: fundador do Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade e coordenador do Centro Cultural da Diversidade da Secretaria Municipal de Cultura (Brasil) 

Chantal La Nuit: fundadora do Festival Intérieur Queer, Arty-Farty (França) 

Thirza Cuthand: artista e cineasta queer indígena (Canadá) 

Violeta Uman: fundadora do FAQ Queer Film Festival y Brandon (Argentina) 

  • Mediação: Babu Carreira 

 

 

PRESENCIAL 

**para participar do evento presencial, é necessária a retirada de ingressos no local a partir das 18h (sujeito a lotação) Obrigatória a apresentação do passaporte da vacina com pelo menos 2 doses.  

“Em vista do Decreto nº 66.575 do Governo de São Paulo (de 17 março de 2022), a Aliança Francesa de São Paulo recomenda fortemente a utilização de máscaras durante a permanência em nosso espaço, a fim de manter hábitos preventivos e complementares ao combate da pandemia do Covid-19.” 

Local: Aliança Francesa de São Paulo – Rua General Jardim, 182. Centro, com transmissão on-line ao vivo pelo youtube (https://www.youtube.com/ParadaSP). 

 

18h Abertura da exposição Habeas corpus do arquivo Edgard Leuenroth (UNICAMP). Exibição no hall principal da Aliança Francesa. 

-> Hostess: Dindry Buck 

 

19h20 Discursos de encerramento 

Painel 5 – Memória e legado LGBTQ2+ 

19h30 – 21h (horário de Brasília GMT-3)  

Essa mesa aborda a história dos movimentos LGBTQ2+ s e o legado LGBTQ2+ com, por exemplo, a criação de arquivos. 

Com:  

Andrew Baker: presidente da InterPride (Canadá) – vídeo 

João Silvério Trevisan famoso escritor e pesquisador, referência sobre a história e o contexto da comunidade LGBT no Brasil – presencial 

Philippe Mangeot: membro fundador da Act Up (França) – presencial 

Regina Facchini: Pesquisadora, Núcleo de Estudos de Gênero – Pagu, Universidade Estadual de Campinas. (Brasil) 

Tobie Walsh: Fundador do Irish Queer Archive (Irlanda) – vídeo 

  • Mediação: Nanni Rios 

 

Pocket-show de encerramento: Greta Star e Marcinha do Corinto 

Horário: 21h-21h30 

Local: Aliança Francesa de São Paulo – Rua General Jardim, 182. Centro, com transmissão on-line ao vivo pelo youtube (https://www.youtube.com/ParadaSP). 

 

 

SERVIÇO: 

II Fórum de Direitos LGBTQ2+ 

Dias 17 e 18 de maio de maio, terça e quarta-feira 

Gratuito.  

Debates on-line com inscrição pela Sympla: https://bit.ly/38MHkRA e transmissão on-line no canal youtube da Parada SP. 

O debate do dia 18/05 às 19h30 é presencial (retirada de ingresso a partir das 18h no local) e transmissão ao vivo on-line pelo canal youtube da Parada SP. 

Exposição “Habeas Corpus” de 18/05 a 19/06 

Local: Aliança Francesa (hall), Rua General Jardim, 182 (metrô República) 

Visitação: seg à sex das 9h às 21h / Sáb das 9h às 13h e das 18h às 21h / Dom das 16h às 19h (fechado em feriados). 

 

Organização: 

Governo do Canadá no Brasil 

Escritório do Québec em São Paulo 

Embaixada do Canadá na Argentina 

Embaixada do Canadá no Chile  

Embaixada da França no Brasil 

Associação da Parada do Orgulho LGBT de SP (APOLGBT-SP) 

Aliança Francesa de São Paulo 

Apoio: Institut français, British Council, Consulado Geral da Irlanda em São Paulo  

Parceria Mídia: Revista Híbrida, Terra e Eletromídia 

Transmissão e tradução simultânea: PRISMA Traduções 

Parceria catering: Amstel 


>> Aproveitando sua visita:
– Ajude a ONG APOGLBT SP Associe-se!

Publicado por: Fabrício Viana
Fabrício Viana é o jornalista (MTB 80753/SP), escritor LGBT premiado e responsável pela assessoria de imprensa e comunicação da APOLGBT SP, ONG que realiza a maior Parada LGBT do mundo. Contato com a Diretoria da ONG, aqui.