Jair Bolsonaro será investigado por dizer que vacina contra Covid-19 gera AIDS

O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou a abertura de um inquérito contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) por ele ter feito, em uma live no Facebook, uma falsa associação entre a vacinação contra a Covid-19 e as chances de se contrair o vírus HIV.

Segundo o UOL, Moraes criticou a atuação do Procurador-geral da República Augusto Aras, por ele ter apenas aberto uma apuração interna sobre o caso, já que a investigação nasceu de uma notícia-crime enviada ao STF por meio da CPI da Covid feita pelo senador Omar Aziz (PSD-AM).

Após a transmissão da live com as informações falsas proferidas por Jair Bolsonaro, o Facebook removeu o vídeo após três dias de sua publicação.

“Nesse contexto, não há dúvidas de que as condutas noticiadas do Presidente da República, no sentido de propagação de notícias fraudulentas acerca da vacinação contra Convid-19 utilizam-se do modus operandi de esquemas de divulgação em massa nas redes sociais”, enfatizou Alexandre de Moraes.

Alexandre ainda complementou, “Para que a supervisão judicial ocorra de modo efetivo e abrangente – inclusive em relação à futuro arquivamento e incidência do artigo 18 do CPP – é indispensável que sejam informados e apresentados no âmbito do procedimento que aqui tramita, documentos que apontem em quais circunstâncias as investigações estão sendo conduzidas”


>> Aproveitando sua visita:

– Receba notícias em 1ª mão, entre no grupo do TELEGRAM!
– Ajude a ONG APOGLBT SP Associe-se!

Publicado por: Fabrício Viana
Fabrício Viana é o jornalista (MTB 80753/SP), escritor LGBT premiado e responsável pela assessoria de imprensa e comunicação da APOLGBT SP, ONG que realiza a maior Parada LGBT do mundo. Para a página de Imprensa, aqui. Contato com a Diretoria da ONG, aqui. Seja um Associado/a, aqui