Justiça derruba proibição de discussão de gênero, diversidade e orientação sexual nas escolas de Niterói

No início desta semana o Tribunal de Justiça do Estado do Rio (TJRJ), sob o argumento de inconstitucionalidade, concedeu liminar suspendendo a proibição da discussão de temáticas de gênero, diversidade e orientação sexual nas escolas particulares e públicas de Niterói (Rio de Janeiro).

O pedido da ação foi protocolada em janeiro de 2017 pela vereadora Talíria Petrone (PSOL), no Ministério Público do Estado do Rio (MPRJ) e foi decidido pela desembargadora Sandra Santarém Cardinali.

A liminar é uma luz no fim do túnel, pois, a partir dela, fica um pouco mais fácil suspender a proibição também em outras escolas. Afinal, todos nós sabemos que discutir gênero, diversidade e orientação sexual nas escolas é um caminho primordial dentro da educação para eliminar a ignorância, o preconceito e a LGBTfobia. Além, é claro, de promover a discussão das IST (Infecções Sexualmente Transmissíveis) e também sobre a Lei Maria da Penha, temas que também eram barrados por conta da proibição.

Esse é o tipo de notícia que deve ser compartilhada em todas as redes sociais o máximo que pudermos.

E que mais escolas tenham essa liminar. Nossa sociedade, como um todo, só tem a ganhar.


>> Aproveitando sua visita:

– Ajude a ONG APOGLBT SP, Associe-se!
– Curta as redes sociais da Parada LGBT de SP: Facebook / Twitter / Instagram
– Participe também do evento oficial da Parada no Facebook: Parada do Orgulho LGBT de SP 2018

Publicado por: Fabrício Viana
Fabrício Viana é jornalista (MTB 80753/SP), gay, escritor premiado e responsável pela assessoria e comunicação da APOGLBT SP, ONG que realiza a maior Parada LGBT do mundo. Mais sobre Viana, aqui