#LANÇAMENTO: Campanha informa que pessoas com HIV indetectável não transmitem a doença

A Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Vivendo com HIV/Aids lançou recentemente a campanha “Indetectável = Intransmissível”. O objetivo é reduzir o estigma e a discriminação contra as pessoas que vivem com HIV. A ideia surgiu durante a 9ª Conferência de HIV e ciência da IAS-Sociedade Internacional de AIDS em Paris onde por meio de vários estudos é demonstrado que pessoas que fazem tratamento e possuem carga viral indetectável não transmitem o vírus HIV para seus parceiros sexuais.

Lá, em Paris, eles lançaram a campanha “U=U” que, em tradução para o nosso português,  ficou “I=I”.

Para quem não entende muito sobre, a explicação é simples: quando uma pessoa é infectada com o vírus do HIV, a quantidade de vírus que essa pessoa terá no corpo irá aumentar conforme o tempo. Esse aumento do vírus fará com que a imunidade dessa pessoa baixe, quase que na mesma proporção que o vírus aumenta. Quando essa imunidade chega a ficar muito baixa, o HIV se transforma em doença chamada AIDS (onde seu organismo não tem mais quase nenhuma defesa contra qualquer tipo de doença).

Quando a pessoa descobre que foi infectada com o vírus do HIV, antes desse vírus se multiplicar e a imunidade cair, caso ela comece o tratamento com os antirretrovirais, o esperado é que ao invés do vírus se multiplicar ele seja reduzido. A redução da quantidade de cópias do HIV no organismo da pessoa é tão baixa que ela se torna indetectável. Logo, a imunidade da pessoa continua normal. E aí é que entra a lógica (baseada em vários estudos já realizados). Se uma pessoa tem HIV e toma sua medicação corretamente, ela será uma pessoa indetectável e, mesmo que ela quisesse, não conseguiria transmitir o HIV para outras pessoas em uma relação desprotegida. Afinal, a carga viral em seu organismo é indetectável (ela não tem uma quantidade de vírus suficiente em seu corpo para que ocorra a transmissão).

Por esse motivo eles tiveram a ideia da campanha: mostrar as pessoas que, quem toma medição e tem carga viral indetectável, não transmite o HIV. E trazer à tona outra coisa importante: quem tem HIV e não sabe, tem carga viral alta e a pessoa se torna uma potencial transmissora do vírus para as outras. Por isso é importante fazer os exames para saber se você tem ou não, caso tenha feito sexo desprotegido.

E, claro, independente de qualquer coisa: camisinha sempre. Afinal, não é só HIV que existe como doenças sexualmente transmissíveis. Porém, essa informação ajuda muito a eliminar o preconceito contra pessoas com HIV indetectável: se elas tomam medicação, não irão transmitir a doença para ninguém.

Caso queira saber mais, assista esse vídeo.

Afinal, precisamos sempre de mais informações e menos preconceito!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + dez =

Pin It on Pinterest