LGBTfobia de cada dia: Creche Arco-íris muda de nome após pedido de vereador

Nem vamos entrar na questão da formação da sexualidade de uma criança, deixaremos especialistas falarem nisso e artigos na Internet não faltam. Entretanto, gays que nasceram vendo beijo e relações heterossexuais na TV e em todos os lugares durante toda a vida, não desejaram ser heterossexuais quando adultos. Aqui já demonstramos o equívoco e preconceito de muitos.

Agora, vamos para a notícia.

Parece fake news, mas não é. A nota foi publicada originalmente no G1. Segundo eles, o nome da creche foi escolhido pelos moradores de quadra em Palmas, de comum acordo, mas para o vereador Filipe Martins (PSC), o nome dado para a creche Arco-Íris poderia ser “usado para a promoção do homossexualismo”.

Sim, ele disse com estas palavras. Ao total, foram criadas 6 novas creches na região, porém, apenas essa teve problemas.  Agora, após publicação no Diário Oficial, a creche passou a se chamar “Romilda Budke Guarda”. Segundo o vereador, em nota no seu site “O objetivo é homenagear uma das pioneiras de Palmas, além de substituir o nome Arco-Íris, que apesar de ser um símbolo do cristianismo, também é usado para promoção do homossexualismo”.

Nas redes sociais, muitos memes já estão aparecendo, sugerindo que o governador também troque as placas de trânsito onde tem veados (animais silvestres) por outra coisa, para também não promover a homossexualidade.

Isso prova, mais uma vez, que existem muitos políticos despreparados para administrar cidades, estados e assim por diante. Tema, inclusive, da nossa Parada do Orgulho LGBT de São Paulo neste ano: Eleições. Slogan Poder para LGBTI+, Nosso Voto, Nossa Voz!

Uma forma de conscientizar a população LGBT e aliados, para justamente não votarem em candidatos como esse vereador que, ao invés de ajudar, atrapalha: vendo coisas que não existem. Afinal, é só uma creche. Gays serão gays independente de qualquer outra coisa. Lembram do início deste texto? Pois é.

Parodiando a campanha da Globo, precisamos dizer a esse vereador que “Esse é o Brasil que não queremos!”. Parte boa: as eleições estão chegando, analisem bem todos os seus candidatos e candidatas. Pesquisem muito. Voto consciente! Precisamos, e muito.


>> Aproveitando sua visita:

– Ajude a ONG APOGLBT SP, Associe-se!
– Curta as redes sociais da Parada LGBT de SP: Facebook / Twitter / Instagram
– Participe também do evento oficial da Parada no Facebook: Parada do Orgulho LGBT de SP 2018

Publicado por: Fabrício Viana
Fabrício Viana é jornalista (MTB 80753/SP), gay, life coach, escritor premiado e responsável pela assessoria e comunicação da APOGLBT SP, ONG que realiza a maior Parada LGBT do mundo. Mais sobre Viana? Clique aqui.