LIVE: Vivo com HIV, sou mãe, feliz e recomendo a maternidade para as mulheres vivendo!

A Agência Aids chamou mulheres com diferentes e emocionantes histórias de vida que têm uma coisa em comum: vivem com o HIV.

Uma delas já tinha filhos quando descobriu ter sido infectada pelo marido, outra teve seu diagnóstico positivo durante o pré-natal na segunda gravidez e a terceira realizou o desejo de ser mãe já vivendo com o vírus e tendo a carga viral indetectável.  Além delas, a conversa contará com a participação da infectologista Dra. Marinella Della Negra pioneira no tratamento da aids pediátrica e que abordará a saúde das crianças com HIV.

A live acontece dia 11 de maio a partir das 21h, com mediação da diretora da Agência Aids, Roseli Tardelli e terá a participação de:

Juliana Corrêa

Juliana Corrêa nasceu em Manaus (AM) em 1980 e é uma mulher vivendo com HIV/aids há 17 anos. O diagnóstico ocorreu na segunda gravidez – durante o pré-natal no Sistema Único de Saúde –, quando Juliana tinha 24 anos de idade e ainda estava casada. Juliana iniciou o tratamento antirretroviral aos dois meses de gravidez; aos seis, o marido a deixou. Em meio ao caos, uma bênção: graças à terapia com o antirretroviral AZT (zidovudina) durante a gravidez, a filha de Juliana nasceu livre do vírus. A realidade a despertou definitivamente para a urgência de unir-se a outras pessoas em situação semelhante. Hoje Juliana é parte ativa do Movimento Nacional das Cidadãs PositHIVas (MNCP). Por meio do movimento, engajou-se profundamente no debate e nas conquistas dos direitos das mulheres vivendo com HIV/aids em Manaus, no Amazonas e no Brasil como um todo.

Silvia Almeida

Ativista, soropositiva, descobriu ser portadora do HIV dentro de um casamento estável, dois filhos e uma vida calma e tranquila. Dois anos depois, enfraquecido pelo vírus, seu marido veio a falecer em decorrência de uma tuberculose. Silvia conheceu o GIV, Grupo de Incentivo à Vida, onde foi aprendendo a viver e aceitar a sua nova condição. Lá, ela ajuda a coordenar o Toque de Mulher, uma atividade direcionada só para mulheres, sendo portadoras do HIV, ou não. Atuou como consultora do Programa Conjunto sobre HIV/aids das Nações Unidas (Unaids). Atualmente, representa o Movimento Nacional das Cidadãs Posithivas no Estado São Paulo.

Thais Renovatto

Nasceu em São Paulo, é formada em Publicidade e Propaganda pela UNIP e em Marketing pelo IBTA, pós graduada em Gestão de Negócios e em Marketing Digital pela SP Digital School. Com seu blog há quase uma década no ar, coleciona textos intrigantes sobre o cotidiano. Seu livro foi escolhido pelo Selo de Novos Talentos da Literatura Brasileira da editora Novo Século. Em “5 anos comigo”, Thais Renovatto passa a limpo sua impressionante história, mantendo sempre um tom irreverente e agradável. Do assustador momento do diagnóstico do HIV à euforia ao perceber que aquilo não a impediria de ter uma vida saudável e feliz, Thais faz um relato ímpar e corajoso sobre um assunto que ainda é tabu para muitas pessoas, e apresenta nestas páginas um verdadeiro manifesto contra o medo e o preconceito.

Dra. Marinella Della Negra

Referência nacional no tratamento de crianças com aids, Marinella Della Negra nasceu na cidade de Borgosesia, na Itália, e naturalizou-se brasileira. Atuou como médica efetiva do Instituto de Infectologia Emílio Ribas e consultora do Ministério da Saúde para assuntos relacionados à aids pediátrica. Começou a trabalhar com crianças portadoras do HIV em 1985, quando aceitou acompanhar pela primeira vez um bebê soropositivo recusado por outras equipes – até então, pouco se conhecia sobre os tratamentos da doença e suas formas de transmissão. A partir daí, Marinella se dispôs a pesquisar a aids pediátrica e a procurar informações com especialistas, em revistas e em instituições internacionais. Os casos seguintes de crianças com HIV  foram encaminhados a Marinella, que passou a se dedicar quase exclusivamente ao número sempre crescente de pequenos pacientes.Aos poucos, formou uma equipe dedicada e especializada no tratamento de crianças soropositivas. Em 1989, ela conseguiu doação em dinheiro de uma empresa que repassava verbas para organizações não governamentais dedicadas ao tratamento de soropositivos e decidiu, então, fundar uma dessas entidades, que chamou de Associação de Auxílio às Crianças Portadoras de HIV.Além de ajudar os doentes, fornecendo remédios, cuidando de seu encaminhamento a hospitais e ambulatórios, e de transmitir informações sobre a doença a pacientes e suas famílias, a ONG criada por Marinella também organizou o primeiro encontro sobre aids pediátrica no Brasil.

Serviço:

Live: “Vivo com HIV, sou mãe, feliz e recomendo a maternidade para as mulheres vivendo!”
Quando: terça-feira, 11 de maio de 2021
Horário: 21h
Facebook: https://www.facebook.com/agenciaaids
Youtube: https://www.youtube.com/c/AgenciaAids/featured


>> Aproveitando sua visita:

– Ajude a ONG APOGLBT SP Associe-se!

Publicado por: Fabrício Viana
Fabrício Viana é o jornalista (MTB 80753/SP), escritor LGBT premiado e responsável pela assessoria de imprensa e comunicação da APOLGBT SP, ONG que realiza a maior Parada LGBT do mundo. Para a página de Imprensa, aqui. Contato com a Diretoria da ONG, aqui. Seja um Associado/a, aqui