Nota de repúdio ao brutal espancamento e morte de um cidadão congolês e refugiado, no Kiosque Tropicália, Posto 8 Barra da Tijuca

A Associação da Parada do Orgulho LGBT+ de São Paulo, repudia com veemência à morte por espancamento de MOISE MUGENYI KABAGAMBE, cidadão Congolês e refugiado de 24 anos, por gerente e seus amigos no KIOSQUE TROPICALIA, Posto 8 Barra da Tijuca, no dia 24 de Janeiro de 2022 às 21h.

MOISE MUGENYI KABAGAMBE foi espancado até a morte no kiosque Tropicália onde trabalhava como ajudante de cozinha por um contrato temporária diária, ao qual foi negligenciado por ter chamado bombeiro somente 40 minutos após da morte e conduzido em IML como desconhecido e informar a família no outro dia em torno de 10h.

Segundo relatos e vídeos gravados, MOISE foi pedir seu pagament odiária ao gerente no final do expediente, pela distância que ele teve que pegar até Madureira onde reside, o gerente começou a lhe agredir junto com seus 5 amigos, batendo com Bastão de Baseball.

Esse ato brutal, que demonstra claramente XENOFOBIA contra estrangeiros e o racismo estrutural da sociedade brasileira, deve ter seus culpados punidos de forma exemplar para que crimes como este não voltem a ocorrer. E o Brasil se torne uma nação justa e democrática.

Atenciosamente,

Diretoria da APOGLBT SP
www.paradasp.org.br


>> Aproveitando sua visita:
– Ajude a ONG APOGLBT SP Associe-se!

Publicado por: Fabrício Viana
Fabrício Viana é o jornalista (MTB 80753/SP), escritor LGBT premiado e responsável pela assessoria de imprensa e comunicação da APOLGBT SP, ONG que realiza a maior Parada LGBT do mundo. Contato com a Diretoria da ONG, aqui.