Padre gay Warren Hall é demitido após defender lésbica em Nova Jersey

Warren Hall, reverendo que assumiu sua homossexualidade em 2015, foi demitido pela Arquidiocese de Newark, em Nova Jersey nos Estados Unidos, após defender a técnica de basquete Kate Drumgoole.

Drumgoole, que também assumiu sua orientação sexual publicamente, está processando a Paramus Catholic Hight School, alegando que foi demitida por conta de sua orientação sexual. A Paramus, por sua vez, deixa claro que a demissão realmente ocorreu por ela ter se casado recentemente com outra mulher.

Hall, em solidariedade, a defendeu nas redes sociais e em seguida, também foi demitido.

“O problema é que temos um arcebispo que não acredita que você pode ser gay e católico”, disse Warren Hall se referindo a John Myers.

Ainda em 2015, Hall demonstrou apoio a uma campanha que promove o casamento entre pessoas do mesmo sexo e por isso foi transferido para uma paróquia no Norte do Estado. Até então, seu trabalho estava indo muito bem segundo a comunidade local.

Com a demissão, Hall não poderá mais celebrar missa em público, nem apresentar-se como sacerdote ou trabalhar em qualquer outra paróquia.

A pergunta que fazemos é, até quando o preconceito continuará firme dentro das religiões? Mesmo a ciência deixando comprovado que a orientação sexual não interfere em nada nas questões profissionais de um indivíduo, seja trabalhos religiosos ou não.


>> Aproveitando sua visita:

– Ajude a ONG APOGLBT SP, Associe-se!
– Curta as redes sociais da Parada LGBT de SP: Facebook / Twitter / Instagram
– Participe também do evento oficial da Parada no Facebook: Parada do Orgulho LGBT de SP 2018

Publicado por: Fabrício Viana
Fabrício Viana é jornalista (MTB 80753/SP), gay, escritor premiado e responsável pela assessoria e comunicação da APOGLBT SP, ONG que realiza a maior Parada LGBT do mundo. Mais sobre Viana, aqui