Ricky Martin faz campanha para que gays doem sangue para vítimas em Orlando

O mundo ainda esta chocado pelo massacre em Orlando. Ricky Martin, cantor conhecido mundialmente e assumidamente gay, aproveitou e atacou a FDA (órgão regulatório americano, similar a Anvisa no Brasil), desabafando em seu Twitter:

“Hospitais em Orlando estão desesperadamente precisando de sangue para salvar as vítimas do ataque, mas como um homem gay não posso doar”

Sua postagem já tem mais de 1.900 compartilhamentos. No ano passado, depois de muita pressão, a FDA acabou com a proibição de gays doarem sangue, limitando a restrição aos homens que fizeram sexo com outros homens nos últimos 12 meses. O que, de certa forma, continuou impedindo muitos deles.

No Brasil, recentemente, o STF por meio do ministro Luiz Edson Fachin, deu 10 dias para o governo brasileiro explicar regra que proíbe gay de doar sangue. Já que, de fato, não é a orientação sexual que define grupos de risco e sim as práticas sexuais de risco, que podem ocorrer tanto em gays, bissexuais ou heterossexuais.

Práticas sexuais de risco não tem identidade de gênero ou orientação sexual.

Além de Rick Martin, Beyoncé, Elton John, Madonna ou ainda Monica Iozzi, Claudia Leitte e Preta Gil, no Brasil, são favoráveis as causas LGBT e pedem o fim do preconceito e homofobia.

Fernando Quaresma, presidente da APOGLBT, publicou nota de pesar para as vítimas e familiares de Orlando.


>> Aproveitando sua visita:

– Ajude a ONG APOGLBT SP, Associe-se!
– Nosso evento no Facebook para 2020 foi criado: ParadaSP 2020
– Curta as redes sociais da Parada LGBT de SP: Facebook / Twitter / Instagram

Publicado por: Fabrício Viana
Fabrício Viana é o jornalista (MTB 80753/SP) responsável pela assessoria de imprensa e comunicação da APOGLBT SP, ONG que realiza a maior Parada LGBT do mundo. Para a página de Imprensa, aqui. Contato com a Diretoria da ONG, aqui. Seja um Associado/a, aqui