Santos terá o 1º centro de acolhimento para LGBTs expulsos de casa

O Conselho de Cultura (Concult) está em tratativas com a Prefeitura de Santos para que o imóvel do antigo Ambulatório de Especialidades (Ambesp), no Centro do litoral paulista, abrigue o primeiro centro de acolhimento para pessoas LGBTs vítimas de violência ou expulsas de casa.

O projeto está dentro do Plano Municipal de Cultura, sancionado em 2017 e tem como objetivo oferecer também uma contrapartida social e artística para a cidade.

Segundo o conselheiro Júnior Brassalotti, em entrevista ao portal Diário do Litoral, foram mapeados as casas de posse da Administração que poderiam servir a esse fim. Dentre eles, o prédio da Ambesp foi um dos escolhidos.

“Ainda não conseguimos conversar pessoalmente com o secretário, mas vamos retomar esse assunto, juntando a pasta da Cultura e da Assistência Social para ver como conseguimos tocar esse projeto que é embrionário mas está avançado no ponto de vontade política”, disse ao portal.

O Centro de Acolhimento de Santos segue o modelo semelhante da Casa 1, localizado na cidade de São Paulo. A ideia é, além de acolher essa população LGBT vulnerável, o local possa servir também como centro cultural.

Vale informar ainda que, além deste projeto, mais 150 imóveis da cidade estão aptos – segundo nota da Prefeitura de Santos – a receber propostas culturais.

Que iniciativas como esta se espalhem pelo Brasil.

Ninguém segura a mão de ninguém, certo?


>> Aproveitando sua visita:

– Ajude a ONG APOGLBT SP, Associe-se!
– Curta as redes sociais da Parada LGBT de SP: Facebook / Twitter / Instagram
– Participe também do evento oficial da Parada no Facebook: Parada do Orgulho LGBT de SP 2018

Publicado por: Fabrício Viana
Fabrício Viana é jornalista (MTB 80753/SP), gay, life coach, escritor premiado e responsável pela assessoria e comunicação da APOGLBT SP, ONG que realiza a maior Parada LGBT do mundo. Mais sobre Viana? Clique aqui.