sexta-feira, julho 21, 2017
Tags Posts tagged with "orgulho lgbt"

orgulho lgbt

A Câmara Municipal de São Paulo vai realizar no dia 30 de junho de 2017, a sessão solene em comemoração ao Dia do Orgulho LGBT, por iniciativa da vereadora Adriana Ramalho.

Trata-se de um momento de reflexão sobre a cidadania de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais no município de São Paulo e uma homenagem às pessoas que trabalham pelo fim da discriminação LGBTfóbica.

Entre os homenageados, está a Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (APOGLBT SP), ONG responsável pela maior parada LGBT do mundo e também por diversos eventos do Mês do Orgulho LGBT na capital paulista.

Serviço:

Sessão Solene – Dia do Orgulho LGBT
Dia 30/06 as 18h
Plenário – 1º andar da Câmara Municipal de São Paulo (Viaduto Jacareí, 100)
Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/245922512561383

As celebrações do mês do Orgulho LGBT continuam. Nessa quarta-feira, 28 de junho, Dia Internacional do Orgulho LGBT acontece na Assembléia Legislativa, a tradicional Sessão Solene que homenageia a luta pela igualdade de direitos entre todas as pessoas, independente da orientação sexual ou da identidade de gênero.

Nesse ano em que a Parada do Orgulho LGBT trouxe no seu tema uma importante reflexão sobre a necessidade da luta pelo Estado laico, que não pode deixar de reconhecer direitos em virtude de posições de grupos religiosos, a sessão Solene homenageará com um diploma ativistas de diferentes gerações que tem de destacado no enfrentamento à violência e discriminação contra pessoas LGBT, combate ao racismo e machismo.

Venha celebrar o orgulho LGBT e a construção de uma sociedade sem nenhum tipo de preconceito e discriminação.

O Ato Solene é organizado pelos mandatos dos deputados e deputadas estaduais: Leci Brandão (Pc do B) Carlos Giannazi (PSOL) , Clélia Gomes (PHS) , José Zico Prado (PT) , Márcia Lia (PT) e Ramalho da Construção (PSDB).

O evento conta com o apoio institucional do SOS Racismo, APOGLBT SP e Sindicato dos Comerciários.

Confirme sua presença no Facebook:
https://www.facebook.com/events/116539922283876

O Líbano se tornou o primeiro país árabe a permitir a organização de uma Parada LGBT, mas os planos para um evento aberto foram cancelados depois de extremistas ameaçarem ataque durante a passeata.

A comunidade LGBT Libanesa estava programada para caminhar pelas ruas de Beirute no domingo (14), mas o evento foi cancelado depois das ameaças islâmicas, a fim de manter a segurança e integridade física dos membros.

Além da Parada, o movimento pelos direitos LGBT organizou uma semana inteira de atividades para discutir a diversidade no Líbano contemporâneo. Até o dia 22 deste mês, estima-se que 4 mil pessoas participaram em mais de 12 eventos, entre conferências, festas e workshops que tiveram lugar em Beirute e em outras cidades vizinhas.

O Presidente da Parada Libanesa, Bertho Makso, contou à Reuters que “É muito incrível. Um grande avanço. Uma enorme visibilidade. Antes, costumávamos ser ONGs individuais, mas agora temos uma semana inteira de atividades acontecendo pela cidade. Mais pessoas serão alcançadas e a tolerância espalhada”.

Embora a semana do orgulho LGBT seja um grande avanço, atos homossexuais ainda são puníveis de prisão no Líbano.

Hoje, dia 17 de Maio, dia Internacional de Combate à LGBTfobia, a Associação da Parada LGBT de São Paulo (APOGLBT-SP) realizou na Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Governo do Estado de São Paulo sua primeira coletiva de imprensa para apresentar o 21º Mês do Orgulho LGBT 2017.

A Mestre de Cerimônia, a drag queen Tchaka, fez suas considerações e destacou a importância do tema deste ano na Parada do Orgulho LGBT de São Paulo que é “Independente de nossas crenças, nenhuma religião é lei! Todas e todos por um Estado Laico”. Em seguida, abriu falas para as autoridades presentes e para Claudia Regina, presidente da APOGLBT.

Claudia destacou a importância do tema “Estado Laico” e reforçou que todas as ações são planejadas ao longo do ano e que a escolha envolveu mais de 150 militantes, incluindo ONGs e coletivos, para que, juntos, decidam quais ações devem ser priorizadas.

Estavam presentes no Cerimonial, o Sr. Marcio Elias Rosa (Secretario de Justiça e Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo), Thiago Amparo (Secretário Adjunto de Direitos Humanos e Cidadania da Prefeitura de São Paulo), Leonardo de Morais Barros (Chefe de Gabinete da Secretaria de Justiça), Maria Clara Gianna (Diretora do Centro de Prevenção DRT/Aids) e os representantes das empresas patrocinadoras Skol e Uber.

Letícia Mazon (Gerente de Comunicação) da Uber, ressaltou que a Uber já realizou diversas ações de inclusão da diversidade no Brasil e no mundo, já Maria Fernanda, Diretora da Ambev, reforçou que este é o segundo ano que a marca Skol patrocina o evento, e que este ano a empresa produziu uma edição/tiragem especial de latas da cerveja Skol com as cores da bandeira LGBT.

Ambas empresas demonstraram estar animadas e acreditando no projeto Parada do Orgulho LGBT de São Paulo.

O 21º Mês do Orgulho LGBT de São Paulo 2017, tem em sua programação os seguintes eventos: Ciclo de Debates LGBT, Ciclo de Leituras Dramáticas, Campanhas de Saúde, Mostra de Cinema, Em Memória, Feira Cultural LGBT, Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade, Jogos da Diversidade e a 21ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (com seu show de encerramento) que ainda é considerada o maior evento de visibilidade da comunidade LGBT do mundo.

Para acessar a agenda completa, o link é http://paradasp.org.br/agenda2017

A segunda Coletiva de Imprensa está prevista para acontecer no dia 13/06/2017.

 

Neste sábado, 06/08, a APOGLBT SP (Associação da Parada do Orgulho LGBT) fará uma reunião de avaliação do XX mês do orgulho LGBT de São Paulo e, para isso, convida outras ONGs de direitos humanos LGBT, coletivos ou militantes autônomos para participar.

A reunião será realizada das 14h até as 17h no Sindicato dos Comerciários: na Rua Formosa nº 99.

Neste encontro também agendaremos as próximas reuniões para início dos trabalhos do XXI Mês do Orgulho LGBT, começando pela escolha do tema de 2017.

Contamos com a participação de todxs!

Para receber nossos informativos por e-mail, cadastre-se aqui.

Para mais informações, entre em contato com: assessoria.imprensa@paradasp.org.br

 

Para quem não acompanhou, nesse final de semana em Las Vegas aconteceu o UFC 200. E não foi uma luta “qualquer”, a baiana Amanda Nunes ganhou da Miesha Tatecom ao finalizar a luta com um mata-leão no primeiro round. A comemoração foi em dobro: Amanda é brasileira e a primeira lésbica assumida a ganhar um título no Ultimate Fighter.

Na coletiva de imprensa ela agradeceu a namorada, Nina Ansaroff, companheira de luta na categoria peso-palha do American Top Team.

”É incrível, sou feliz comigo mesma. É isso o que importa. Nina é a melhor parceira de treinos da minha vida. Ela vai ser a próxima campeã dos palhas, podem ter certeza! Ela tem muito talento e significa tudo para mim. Me ajuda demais. Eu a amo. ”

A declaração de amor (que jamais deve ser escondido!) foi exemplar. Parabéns pela conquista, Amanda! Estamos todos orgulhosos! Que você sirva de exemplo para muitas outras meninas que estão no armário e precisam viver uma vida plena e satisfatória. E, de preferência, com grandes conquistas como a sua!

Nesta tarde no Pentágono, o secretário de Defesa dos EUA, Asthon Carter, anunciou a retirada da proibição de pessoas transgêneros dentro das Forças Armadas americana.

Com a regra ”Don’t ask, don’t tell” (não pergunte, não conte), a omissão da orientação sexual sempre foi muito comum por lá. Em 2010, o presidente Barack Obama derrubou o veto para que gays assumidos se alistassem livremente e assumissem as forças armadas se assim desejassem. Segundo ele, orientação sexual não deveria ser motivo para o não alistamento.

Mesmo porque, como já sabemos, orientação sexual não tem relação alguma com caráter ou competências.

Após seis anos, agora, vem a notícia que além de gays, as Forças Armadas também aceitarão pessoas transgêneros. Respeitando, assim, a identidade de gênero de cada indivíduo: indiferente de sua orientação sexual.

Segundo pesquisa do Departamento de Defesa em nota publicada na CNN, por ano, aproximadamente 65 militares buscam a redesignação sexual conforme sua identidade de gênero e, também aproximadamente, 2.450 se identificam com o gênero diferente que possui na certidão de nascimento. Um número bem expressivo e que ajudou na tomada de decisão.

Grupos, militantes e ONGs do mundo inteiro comemoram esta grande notícia pelos direitos LGBTs. Esperando que decisões como esta se espalhem pelo mundo.

orgulho lgbt
orgulho lgbt

Em 28 de Junho de 1969, nas primeiras horas da manhã, a polícia de Nova Iorque entrou no bar chamado Stonewall Inn, frequentado por LGBTs e, sob a alegação de irregularidades no local, prenderam diversas travestis. Não era a primeira vez que os policiais invadiam o local com essa desculpa. Mas foi a primeira vez que gays e lésbicas reagiram. E foram dois dias de confrontos intensos.

Essa batalha, de luta, ficou marcada na história do movimento LGBT do mundo todo. Por isso se comemora o dia mundial do Orgulho LGBT: pela primeira vez lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros deixaram de ser vítimas passando a lutar por respeito e direitos.

Nosso presidente, o advogado Fernando Quaresma, à frente da ONG APOGBLT (responsável pela maior parada LGBT do mundo), gravou um vídeo com um recado para todas as pessoas, movimentos sociais e interessados pela luta LGBT.

Assista agora mesmo:

Celebração, resistência e muito amor marcaram esse final de semana em Campinas/SP, Brasília/DF, Nova Iorque e Londres.

Vamos começar a semana com ótimas imagens?

Pedido de casamento ontem, durante a NYC Pride, pela Juliana Arroyo a sua namorada Erika Marrero, as duas são paramédicas do Corpo de Bombeiros/FDNY. Assista:

Ao Buzzfeed, Juliana justificou o porquê a NYC Pride foi o cenário desse momento:

”Eu queria no desfile homenagear as 49 vítimas do ataque em Orlando, e ao mesmo tempo dar a Erika algo positivo para lembrar do desfile.”

E não para por aqui, anteontem, durante a Pride London, dois casais de pombinhos da policia londrina protagonizaram pedidos de casamento e muito amor:

orgulho-lgbt-policiaisgays

orgulho-lgbt-policiaisgays-1

Lindos, não?

E tem muito mais! Aqui no Brasil, ontem, aconteceu a 16ª Parada do Orgulho LGBT de Campinas com o tema ”Diga sim à educação, e não a transfobia. Intolerância : o vírus mais assassino, contra qualquer forma de opressão.” A marcha reuniu 40 mil participantes durante 3km de trajeto:

paradalgbt-campinas

Não dissemos que havia mais? Olha que legal. A 19ª Parada do Orgulho LGBT de Brasília aconteceu na tarde deste domingo. O Eixo Monumental foi o cenário para o ato que reuniu, segundo a organização, 50 mil pessoas.

paradalgbt-brasilia

As 49 vítimas do ataque terrorista e homofóbico em Orlando (12/06) foram lembradas por tod@s presentes, a concentração ocorreu em frente ao Congresso.

paradalgbt-brasilia 2

Foi um final de semana muito lindo. E com todas as cores da nossa bandeira. Mais uma vez, alegria e militância fizeram parte dos LGBTs em um mundo onde ainda precisamos desta visibilidade, leis e direitos. Parabéns a todas as pessoas envolvidas, participantes, familiares e amigos!

Como parte da ação #PrideForEveryone (#OrgulhoParaTodos), o Google lançou um vídeo ontem que faz o internauta participar, digitalmente, de várias Paradas do Orgulho LGBT no mundo dentro de uma experiência curiosa: 360º

Com imagens gravadas nas Paradas do Orgulho LGBT do Brasil, Estados Unidos, Colômbia, Índia, Austrália, Reino Unido, Irlanda e Itália, o usuário pode, com um click do mouse, mudar a câmera para todos os lados e “sentir” como se estivesse participando daquele momento:

O projeto tem o objetivo de trazer a sensação de empolgação ao fazer parte da celebração pelo respeito à diversidade, pois ”Há pessoas que infelizmente não podem participar por conta de leis que criminalizam pessoas LGBTs ou por medo de serem discriminados pela família e amigos”, segundo pesquisa da empresa Engadget.

Na 20ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, funcionários do Google com seus parentes e amigos na marcha registraram com a câmera 360° graus alguns momentos com vista para a gigante bandeira da visibilidade trans, além dos 3 milhões de participantes.